Pessoas com deficiência esperam até 1 ano para conseguir benefício do INSS

Tempo médio para a concessão neste caso é de 11 meses e três dias. Outros processos que dependem de peritos, como os de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez também demoram
INSS: Quem entra com pedido de aposentadoria por invalidez precisa esperar quase sete meses pela concessão do benefício, em média (Agência Brasil/Agência Brasil)
INSS: Quem entra com pedido de aposentadoria por invalidez precisa esperar quase sete meses pela concessão do benefício, em média (Agência Brasil/Agência Brasil)
A
Agência O GloboPublicado em 18/04/2022 às 09:31.

Enquanto o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) tenta acelerar a concessão de benefícios previdenciários para cumprir um acordo com o Supremo Tribunal Federal (STF), estão ficando ainda mais para trás pedidos de alguns dos cidadãos mais vulneráveis.

Pessoas com deficiência de famílias de baixa renda, que têm direito ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), de um salário mínimo, esperam quase um ano para ter o pedido analisado. Também esperam muito trabalhadores que buscam auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez.

Em comum, eles têm a necessidade de passar por perícia médica, principal gargalo do INSS atualmente.

Segundo dados oficiais obtidos pelo GLOBO, o INSS demora, em média, 11 meses e três dias para analisar pedidos de BPC para pessoas com deficiência, um dos perfis mais carentes da população.

Quem entra com pedido de aposentadoria por invalidez precisa esperar quase sete meses pela concessão do benefício, em média. Estes prazos ferem o acordo firmado entre o INSS e o STF, que estabelece entre 30 a 90 dias para a definição de pedidos de benefícios.

Veja como os termos do acordo com o STF está fazendo cidadãos que precisam de perícia ficarem ainda mais para trás na fila do INSS.

LEIA TAMBÉM: 

Como declarar aposentadoria no Imposto de Renda 2022

10 maneiras de pagar menos Imposto de Renda ou aumentar a restituição