Brasil

Pedidos de recuperação judicial sobem 68,7% em 2023, diz Serasa

O ano de 2023 foi marcado pelos pedidos de recuperação de grandes empresas como Americanas, Light e Oi

Recuperação judicial: o maior número de pedidos aconteceu em 2016 (Michał Chodyra/Getty Images)

Recuperação judicial: o maior número de pedidos aconteceu em 2016 (Michał Chodyra/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 5 de fevereiro de 2024 às 12h14.

Última atualização em 5 de fevereiro de 2024 às 12h24.

Os pedidos de recuperação judicial saltaram em 2023 em 68,7% na comparação com o ano anterior, atingindo 1,4 mil pedidos, de acordo com informação divulgada pela Serasa Experian. Este foi o quarto maior número de pedidos já registrado desde 2005, quando a Serasa Experian iniciou a série histórica.

O maior número de pedidos de recuperação judicial aconteceu em 2016, quando 1,8 mil empresas recorreram à Justiça para se protegerem de seus credores. O número de pedidos atingiu a marca de 1,42 mil em 2017 e de 1,408 mil em 2018.

O ano de 2023 foi marcado pelos pedidos de recuperação de grandes empresas como Americanas, Light e Oi.

A expectativa de especialistas ouvidos pelo Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) ainda em 2023 era de que este ano o número de reestruturações de dívida de empresas seguiria crescendo.

A Gol, por exemplo, já entrou com pedido de recuperação judicial, mas nos Estados Unidos.

"O ano passado foi marcado por um recorde de inadimplência das empresas, influenciando significativamente o panorama da recuperação judicial. Embora os sinais de melhoria tenham começado a surgir, como a queda da inflação e das taxas de juro a reação no cenário de recuperação judicial mostra-se mais lenta", comenta o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

O setor de serviços puxou o número de pedidos de recuperações em 2023, com 651 pedidos, seguido por comércio, com 379 solicitações.

Em dezembro de 2023, foram registradas 102 requisições de recuperações judiciais, alta de 32,5% em relação ao mesmo mês de 2022. Na variação mensal, a indicação foi de queda de 41 7%.

Falências

Os pedidos de falências também tiveram alta em 2023: foram 983 pedidos ante 866 registrados em 2022, um aumento de 13,5%.

Foram as "micro e pequenas empresas" que puxaram a alta (546), seguidas pelas "médias" (231) e pelas grandes companhias (206).

O setor que mais demandou pelos pedidos foi o de serviços (373), seguido por indústria (311) e comércio (292).

Acompanhe tudo sobre:Recuperação JudicialDados de Brasil

Mais de Brasil

Governo de SP confirma Equatorial como investidora estratégica da Sabesp

Moraes determina que PGR se manifeste sobre norma do CFM que restringia aborto legal

Tramonte lidera as intenções de voto para prefeitura de BH, aponta pesquisa Quaest

Quando volta o calor em São Paulo? Veja o que mostra previsão do tempo

Mais na Exame