Brasil

Paes estende medidas restritivas no Rio até 10 de maio

Presença de ambulantes e banhistas nas praias aos sábados, domingos e feriados continua proibida

Orla de Copacabana, no Rio de Janeiro (Creative Commons/Divulgação)

Orla de Copacabana, no Rio de Janeiro (Creative Commons/Divulgação)

AO

Agência O Globo

Publicado em 30 de abril de 2021 às 08h01.

Última atualização em 30 de abril de 2021 às 08h03.

A prefeitura do Rio de Janeiro prorrogou até 10 de maio as medidas restritivas de isolamento social contra a disseminação da Covid-19, mostrou decreto publicado no Diário Oficial do município nesta sexta-feira.

  • Quer saber tudo sobre o ritmo da vacinação contra a covid-19 no Brasil e no Mundo? Assine a EXAME e fique por dentro.

O acesso às praias para banho de sol e de mar segue proibido aos fins de semana, apesar dos flagrantes de desrespeito à medida no último fim de semana. O toque de recolher, em que as pessoas são proibidas de ficar nas ruas entre 23h e 5h, também foi mantido.

Comércio e serviços seguem liberados para operar em horários e condições especiais.

A pandemia de coronavírus teve um relativo arrefecimento nos últimos dias, com redução na fila de espera por internações e recuo na taxa de ocupação de leitos. No entanto, o Estado já tem mais de 730 mil casos ao longo da pandemia e cerca de 43 mil mortes.

Na cidade do Rio, que reúne a maioria de casos e óbitos do Estado, a prefeitura informou que vacinou quase todos os idosos e ainda tem reserva técnica para aplicação da segunda dose. Cerca de dez cidades do Estado suspenderam a aplicação de segunda dose por falta de imunizastes.

A recomendação das autoridades de saúde é de que as pessoas que receberam a primeira dose de uma vacina contra Covid-19 tomem a segunda dose, mesmo que depois do prazo inicialmente previsto.

O que continua proibido

- Presença de ambulantes e banhistas nas praias aos sábados, domingos e feriados. Liberada em outros dias.

- Áreas de lazer da orla da Zona Sul aos domingos (pistas da praia das avenidas Vieira Souto, Delfim Moreira e Atlântica).

- Entrada de ônibus e outros veículos de fretamento para turismo "bate e volta". Liberado se trouxerem visitantes que ficarão hospedados na cidade ou alugados por empresas para transportar funcionários.

- Boates, danceterias, salas de dança e casas de espetáculo.

- Festas, shows e rodas de samba em áreas públicas e particulares.

- Permanência em áreas públicas das 23h às 5h.

- Atividades econômicas não essenciais liberadas até as 22h, mas com limitação de público e proibição de formação de filas de espera.

O podcast EXAME Política vai ao ar todas as sextas-feiras. Clique aqui para seguir no Spotify, ou ouça em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusEduardo PaesRio de Janeiro

Mais de Brasil

Roberto Jefferson paga R$ 40 mil à PF por conserto de viatura que atingiu com 42 tiros

Brasil inclui luta contra racismo pela 1ª vez na agenda do G20

AliExpress e Shopee antecipam data de taxação de compras de até US$ 50; veja quando passa a valer

PM impõe 100 anos de sigilo a processos disciplinares de Mello, candidato a vice de Nunes em SP

Mais na Exame