Brasil

No ABC, polícia de SP apreende quase duas toneladas de cocaína avaliadas em R$ 800 milhões

Segundo informações da Polícia Civil de São Paulo, em uma chácara no meio da mata funcionava uma produção de droga em larga escala

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 4 de julho de 2024 às 10h50.

Nesta terça-feira, 2, cerca de 1,8 tonelada de cocaína foi apreendida pela Polícia Civil de Rio Grande da Serra, na região do ABC, em São Paulo, em um local investigado como "laboratório" para o tráfico. Caso fosse exportada para países da Europa ou Ásia, a droga poderia valer cerca de R$ 800 milhões.

Os agentes foram acionados na quarta-feira, quando receberam informações de que havia drogas no local, uma chácara na Vila Lídia cercada por mata. Em dois salões, com diversas salas, os policiais encontraram instrumentos usados para a manipulação de drogas, o que indicava que o local servia para refinar a cocaína.

Na parte de cima da casa, mais indícios de refino de entorpecentes: diversos galões continham líquidos, possivelmente usados para o processo, que foram apreendidos. Em uma sala ao lado, havia 350 tijolos de pasta base. Fora isso, parte da droga estava guardada em sacos plásticos.

Era lá onde funcionava a área de produção e embalo de cocaína e crack. O espaço contava com três máquinas empacotadoras e materiais para manusear e embrulhar as drogas. Tudo isso aponta para uma produção em larga escala.

Perto da chácara, na área externa, os agentes também encontraram uma caixa d’água usada para guardar grande quantidade de cocaína em sacos plásticos.

Segundo informações da Polícia Civil de São Paulo, o Instituto de Criminalística foi acionado ao local, realizando a perícia e recolhendo vestígios para tentar identificar os criminosos que usavam o local. O caso foi registrado na Delegacia Policial de Rio Grande da Serra e a droga encaminhada para a sede do Departamento Estadual de Investigações sobre Entorpecentes (Denarc), da capital paulista.

Acompanhe tudo sobre:Tráfico de drogassao-paulo

Mais de Brasil

Sabesp está livre para ser a maior plataforma de saneamento do mundo, diz Tarcísio após privatização

Aeroportos, portos, energia e água: Servidores anunciam greve geral; entenda

'Prioridade é acelerar investimentos e universalizar até 2029': Natália Resende analisa nova Sabesp

União Europeia doa 20 milhões de euros ao Fundo Amazônia

Mais na Exame