A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Negros são 37% mais vulneráveis a pobreza e exclusão no Brasil

Nova metodologia da pesquisa de Vulnerabilidade Social do Ipea permite recortes de raça e sexo

São Paulo – A diferença da vulnerabilidade social entre negros e brancos tem diminuído nos 15 primeiros anos deste século, mas ainda continua alta, de acordo com o Ipea.

Pela primeira vez, uma mudança na metodologia do Índice de Vulnerabilidade Social (IVS) permite ver as diferenças entre negros e brancos, homens e mulheres, e moradores do campo e da cidade.

O IVS mede a "ausência ou insuficiência de recursos essenciais para o bem-estar e qualidade de vida da população, conformando situações de vulnerabilidade social".

Ou seja, quanto mais próximo de zero for o indicador, menor é o risco social, e, portanto, melhor o bem-estar; por outro lado, quanto mais próximo de um, maior o risco e pior a qualidade de vida.

As diferenças que mais saltam aos olhos, segundo os pesquisadores do Ipea, são as de raça. Em 2000, um negro no Brasil estava 49% mais vulnerável que um branco em critérios de infraestrutura, trabalho e capital humano.

Dez anos mais tarde, essa diferença ainda estava praticamente estável, em 48%. Só a partir de 2011 a situação começou a melhorar, até chegar, em 2015, ao ponto em que um negro é 37% mais vulnerável que um branco no Brasil.

Em 2011, o IVS geral dos brancos era de 0,214, enquanto o dos negros era de 0,310 (a diferença de 48% citada acima).

Em 2015, a vulnerabilidade dos brancos caiu para 0,206, enquanto a dos negros caiu para 0,283.

Cabe notar que, apesar da melhora, a vulnerabilidade dos negros sequer atingiu o nível da dos brancos em 2011.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também