Muitos perderão a vida, mas é a realidade, diz Bolsonaro sobre covid-19

Presidente apareceu em manifestação que ataca Moro, Maia, Alcolumbre e o STF; ato acontece neste domingo em frente à Esplanada dos Ministérios,

O presidente Jair Bolsonaro foi à rampa do Palácio do Planalto, neste domingo, para cumprimentar manifestantes que foram à Esplanada dos Ministérios em ato de apoio a seu governo e a a outras pautas.

Entre elas, estão críticas aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP); ao Supremo Tribunal Federal (STF); e ao ex-ministro e ex-juiz Sergio Moro.

Em uma transmissão ao vivo pelo Facebook, o presidente voltou a criticar o isolamento social, disse que as pessoas "querem trabalhar" e chamou os governadores de "irresponsáveis". Disse que o país vai deixar essa situação "de forma altiva".

— Infelizmente, muitos serão contaminados. Infelizmente, muitos perderão sua vida também. Mas é a realidade que temos de enfrentar — disse.

O presidente estava cercado de crianças e aliados, como o filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e a deputada Bia Kicis (PSL-DF). Chegou a segurar no colo um menino que saiu de um grupo de apoiadores em frente ao Planalto.

Os manifestantes começaram a chegar por volta das 9h e, no fim da manhã, se concentraram na Praça dos Três Poderes. Muitos estão vestidos com as cores verde e amarelo e carregam bandeiras do Brasil. Um caminhão com som toca o hino nacional e reproduz gritos em defesa de Bolsonaro e das outras pautas do grupo.

Enquanto o presidente esteve na rampa, jornalistas foram ameaçados por manifestantes. A Polícia Militar precisou se aproximar com um carro para retirá-los do local.

"Moro lixo" foi um dos xingamentos que os manifestantes cantam em coro. Faixas pedem a renúncia de Maia da Presidência da Câmara. Outras pedem uma intervenção militar. "STF, preste atenção: sua toga vai virar pano de chão", também cantaram os manifestantes.

A Polícia Militar não divulgou estimativa de número de participantes.

Também na manhã deste domingo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) classificou o ex-ministro da Justiça Sergio Moro como um “espião” em mensagem publicada no Twitter. O filho do presidente Jair Bolsonaro ironizou o depoimento, que se estendeu por mais de oito horas, prestado por Moro na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba neste sábado (2).

“Realmente, é preciso muito tempo dando depoimentos a delegados amigos para ver se acham algo contra Bolsonaro. Moro não era ministro, era espião”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.