MPF entra com procedimento criminal contra ex-juiz do caso Eike

O Ministério Público teria pedido medidas cautelares, que foram aceitas pela Justiça, e entre elas estaria a apreensão do passaporte do magistrado

Rio de Janeiro – O Ministério Público Federal (MPF) entrou com um procedimento judicial criminal contra o juiz federal Flávio Roberto de Souza, titular da 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, informou nesta segunda-feira, 9, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).

O magistrado foi afastado, no último dia 26, dos processos contra o empresário Eike Batista pela corregedora nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi.

Nos autos, o MPF pediu medidas cautelares, que foram aceitas pela Justiça. Entre as medidas estaria a apreensão do passaporte, segundo o site da coluna do jornalista Ancelmo Góis, do jornal O Globo.

Como o procedimento se encontra sob sigilo, nem o TRF2 nem o MPF confirmaram a apreensão do passaporte. Procurada, a Superintendência da Polícia Federal (PF) no Rio tampouco confirmou a retenção do documento até o fechamento deste texto.

Segundo o TRF2, o procedimento foi iniciado a partir de indícios apresentados ao Órgão Especial do tribunal pela Corregedoria Regional da Justiça Federal da 2ª Região, na última quinta-feira.

No fim de semana, a revista Veja revelou que uma junta de juízes designada pela Corregedoria do TRF2 detectou o sumiço, na vara comandada por Souza, de uma parte dos R$ 116 mil apreendidos na casa de Eike, além de R$ 600 mil recolhidos do traficante espanhol Oliver Ortiz de Zarate Martin, preso no Rio em junho de 2013.

O TRF2 informou também que, ainda nesta segunda-feira, divulgará publicamente o resultado da inspeção feita na 3ª Vara Criminal.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.