Brasil

MPF denuncia três pessoas por homicídio e ocultação de corpos no caso Bruno Pereira e Dom Philips

Acusação foi apresentada à Justiça Federal em Tabatinga (AM), onde o processo tramita

MPF: denúncia foi apresentada na quinta-feira à Justiça Federal em Tabatinga (AM) (Agência O Globo/Reprodução)

MPF: denúncia foi apresentada na quinta-feira à Justiça Federal em Tabatinga (AM) (Agência O Globo/Reprodução)

A
Agência O Globo

22 de julho de 2022, 12h01

O Ministério Público Federal apresentou denúncia contra três pessoas pelos crimes de duplo homicídio qualificado e ocultação dos corpos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Philips. Os crimes ocorreram no Vale do Javari, no Amazonas.

A denúncia foi apresentada na quinta-feira à Justiça Federal em Tabatinga (AM), onde tramita o processo, e já foi recebida. Isso significa que os alvos já se tornaram réus.

Foram denunciados Amarildo da Costa Oliveira (conhecido pelo “Pelado”), Oseney da Costa de Oliveira (“Dos Dantos”) e Jefferson da Silva Lima (“Pelado da Dinha”).

"No documento, o MPF explica que Amarildo e Jefferson confessaram o crime, enquanto Oseney teve a participação comprovada por depoimentos de testemunhas. A denúncia traz ainda prints de conversas e cita os resultados de laudos periciais, com a análise dos corpos e objetos encontrados", afirmou o Ministério Público Federal em comunicado à imprensa. A íntegra da denúncia não foi divulgada.

De acordo com o MPF, o motivo dos assassinatos foi o fato de Bruno ter pedido para Dom fotografar o barco dos acusados, que eram suspeitos de pesca ilegal em território indígena. Isso é classificado na denúncia como um motivo fútil que pode agravar a pena. Segundo a acusação, Bruno foi morto por três tiros, sendo um deles pelas costas, enquanto o jornalista teria sido assassinado para assegurar a impunidade pelo crime anterior.

Veja também:

Justiça decreta prisão de três suspeitos por assassinato de Dom e Bruno

Aras publica vídeo antigo para defender urnas 3 dias após ataques de Bolsonaro