Morre aos 94 anos Andor Stern, brasileiro sobrevivente do Holocausto

Nascido na capital paulista, Andor Stern mudou-se para a Hungria ainda criança junto com seus pais. Foi levado para Auschwitz, separado de sua família e não voltou a revê-la
 (Reprodução Memorial do Holocausto/Agência Brasil)
(Reprodução Memorial do Holocausto/Agência Brasil)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 07/04/2022 20:26 | Última atualização em 07/04/2022 20:26Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Andor Stern morreu na manhã desta quinta-feira, 7, aos 94 anos, em São Paulo. O palestrante era sobrevivente ao Holocausto. Stern morreu em casa, conforme comunicado pela família nas redes sociais. A causa da morte não foi revelada. O velório e o enterro foram realizados em Embu, em São Paulo.

"Nossa família agradece desde já por todas as mensagens de apoio e palavras de carinho." Andor dedicou parte da vida às palestras sobre a Segunda Guerra Mundial. O Holocausto aconteceu nas décadas de 1930 e 1940, com o genocídio de judeus e outras minorias.

Em nota, a Confederação Israelita do Brasil (Conib) lamentou a morte de Stern. E, assim como a família, citou a contribuição dada à sociedade pelo sobrevivente à guerra. Seus depoimentos estão registrados no filme Não Mais Silêncio, de Marcio Pitliuk e Luiz Rampazzo.

Stern nasceu em São Paulo em 1928 e se mudou para a Hungria ainda criança junto com seus pais. Foi levado para o campo de concentração de Auschwitz separado de sua família e não voltou a revê-la. De volta ao Brasil, Andor dedicou sua vida a relatar o que viu e sofreu em Auschwitz.

"Ensinando os horrores do período para que não se neguem nem se repitam, e motivando as pessoas a valorizarem e agradecerem a vida e a liberdade. O carinho de vocês sempre foi muito importante para ele", agradeceu a família.