Brasil
Acompanhe:

Moraes abre três novos inquéritos para apurar crimes de 8 de janeiro no DF

As apurações abrangem executores, instigadores e autores intelectuais dos atos

 (TSE/Reprodução)

(TSE/Reprodução)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 23 de janeiro de 2023, 12h39.

Última atualização em 23 de janeiro de 2023, 12h45.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), aceitou mais três pedidos da Procuradoria-Geral da República para investigar os responsáveis pelos atos golpistas realizados em Brasília, no Distrito Federal, em 8 de janeiro. As apurações abrangem executores, instigadores e autores intelectuais dos atos.

Ao todo, a PGR apresentou sete pedidos de abertura de inquérito ao STF. O objetivo é sistematizar a investigação em quatro núcleos, para identificar e responsabilizar executores materiais financiadores, autores intelectuais e autoridades públicas envolvidas.

As petições foram assinadas pelo coordenador do Grupo Estratégico de Combate aos Atos Antidemocráticos, o subprocurador Carlos Frederico Santos.

A pedido da PGR, Moraes já abriu inquérito para investigar a conduta do governador afastado do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB) e do ex-secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres. O ex-presidente Jair Bolsonaro também é investigado sob suspeita de instigar os atos.

São investigados, entre outros, os crimes de terrorismo, associação criminosa, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, ameaça e perseguição.