Ministério do Esporte crê em solução rápida no Itaquerão

Sem definição sobre quem irá bancar os R$ 60 milhões para as estruturas temporárias, as obras deverão ter uma solução até esta sexta-feira, diz secretário

Rio - Envolta em problemas para as instalações de assentos temporários e ainda sem definição sobre quem irá bancar os R$ 60 milhões necessários para as estruturas temporárias, as obras finais do Itaquerão deverão ter uma solução até esta sexta-feira.

É o que prevê o secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, que está no Rio participando de um encontro sobre planos operacionais para a Copa do Mundo.

Inicialmente prevista para ser anunciada na sexta-feira da semana passada, a solução para a questão das estruturas temporárias deverá ser apresentada até o fim desta semana. "Está bem avançada", garantiu Fernandes. Ele afirmou que, apesar do impasse, a instalação das estruturas complementares já começou.

"Há muito trabalho já sendo feito, aquele que inclusive é o mais urgente para a utilização do estádio na inauguração da Copa, sobretudo a parte que remete a telecomunicações, instalação de cabos de fibra ótica para a transmissão dos jogos, isso já está sendo feito, que era talvez a principal preocupação em termos de atraso em relação às estruturas complementares", avaliou Fernandes.

O secretário comentou ainda a paralisação da instalação das arquibancadas temporárias do estádio, decretada na segunda-feira por conta da morte do operário Fábio Hamilton da Cruz, de 23 anos, que no sábado caiu de uma altura de aproximadamente oito metros.

"A segurança no trabalho é prioridade, e é isso que deve ser preservado a todo custo. Está em curso uma negociação do Ministério do Trabalho e a empresa responsável pela instalação dos assentos temporários, vendo soluções técnicas que assegurem a mais completa segurança no trabalho e garantindo também que o trabalho seja concluído em tempo", disse.

Uma reunião entre os responsáveis pela obra e o Ministério do Trabalho está agendada para esta quinta-feira. É possível que a pasta flexibilize algumas exigências impostas na segunda-feira e a obra recomece. Caso contrário, ela seguirá embargada até que todas as medidas sejam tomadas.

"Estamos monitorando a situação, acompanhando, mas não entendemos que há algum risco até a agora em relação a um maior atraso na entrega do estádio do Corinthians", comentou Fernandes.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.