Ministério da Saúde investiga caso suspeito de Ebola em BH

Em outubro de 2014, um imigrante também vindo da Guiné procurou uma unidade de saúde em Cascavel, no Paraná, com sintomas da doença

	Equipe da Força Aérea Brasileira trabalha no transporte de suspeito de ebola em outubro de 2014: o paciente vindo da Guiné, procurou a UPA da Pampulha na noite da terça-feira
 (Vanderlei Faria/Divulgação/Prefeitura de Cascavel)
Equipe da Força Aérea Brasileira trabalha no transporte de suspeito de ebola em outubro de 2014: o paciente vindo da Guiné, procurou a UPA da Pampulha na noite da terça-feira (Vanderlei Faria/Divulgação/Prefeitura de Cascavel)
F
Fabiana Cambricoli e Leonardo AugustoPublicado em 11/11/2015 às 15:33.

São Paulo - O Ministério da Saúde informou na manhã desta quarta-feira, 11, que investiga um caso suspeito de Ebola em Belo Horizonte (MG).

O paciente, de 46 anos e vindo da Guiné, procurou a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Pampulha na noite da terça-feira, 10, com febre alta, dor muscular e dor de cabeça. Ele chegou ao Brasil no dia 6 de novembro.

Ao ser constatada a suspeita da doença, o paciente foi isolado. Ele será encaminhado na tarde desta quarta para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio, referência nacional para casos de Ebola. O transporte será feito em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

A UPA da Pampulha foi fechada e os pacientes e funcionários que tiveram contato com o imigrante estão sendo monitorados pela Secretaria Municipal da Saúde de Belo Horizonte. A UPA fica no bairro Santa Terezinha, na região norte da cidade, e atende cerca de 300 pessoas por dia.

É o segundo caso suspeito de Ebola no País. Em outubro de 2014, um imigrante também vindo da Guiné procurou uma unidade de saúde em Cascavel, no Paraná, com sintomas da doença. Ele foi encaminhado para o Rio para exames, mas a doença foi descartada.

Segundo o Ministério da Saúde, o Ebola é transmitido por meio do contato com sangue, tecidos ou fluidos corporais do paciente contaminado.