Manaus fecha hospital de campanha após queda de casos da covid-19

Desde o começo de junho, os registros do novo coronavírus na capital do Amazonas caíram pela metade, mas cientistas pedem cautela em reabertura econômica

Depois de 71 dias em funcionamento, a prefeitura de Manaus decidiu fechar o hospital de campanha que foi construído para atender pacientes com covid-19. Na terça-feira, 23, a última pessoa internada recebeu alta.

O prefeito da capital de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), disse, em publicação no Twitter, que 757 pacientes foram atendidos no hospital. Destes, 81% saíram curados.

Em abril, a unidade foi montada às pressas, em apenas quatro dias, depois que os casos de coronavírus explodiram em Manaus. O objetivo era desafogar o sistema de saúde da capital do Amazonas e evitar um colapso. 

No pico da pandemia na cidade, no fim de maio, foram registrados 4 mil novos casos confirmados em sete dias. Este número caiu pela metade, na semana passada, chegando a 2.002 novos testes positivos para covid-19.

O prédio de uma escola infantil foi transformado em um hospital com 180 leitos, incluindo 39 de UTI. De acordo com o prefeito, o prédio voltará a funcionar como escola.

No último boletim divulgado pela prefeitura, a cidade tem 25.710 casos confirmados e mais de 1.700 mortes. Estão internadas com teste positivo para o coronavírus 310 pessoas.

Temor da 2ª onda

Apesar da queda nos casos, estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) alerta para o risco de um novo pico da contaminação pela covid-19 nos meses de julho ou agosto por conta, principalmente, da reabertura gradual do comércio em Manaus, em processo de implementação desde o começo do mês.

A equipe trabalha com elaboração de um estudo completo que deverá ser divulgado nas próximas semanas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.