Líder tucano diz que Bendine na Petrobras é solução caseira

Na avaliação do tucano Carlos Sampaio, a escolha do atual presidente do Banco do Brasil sinaliza que a estatal continuará sofrendo interferência do governo

Brasília - O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (SP), disse nesta sexta-feira, 6, que a escolha de Aldemir Bendine para comandar a Petrobras é uma "solução caseira" porque a presidente Dilma Rousseff não conseguiu trazer ninguém de fora de seu grupo político.

"Esperava-se um nome com menor ligação com o Palácio do Planalto, mas o governo Dilma está tão desacreditado que se tornou difícil achar alguém que queira fazer parte dele", afirmou, em nota.

Na avaliação do tucano, a escolha do atual presidente do Banco do Brasil sinaliza que a estatal continuará sofrendo interferência do governo.

O parlamentar disse que a queda nas ações da estatal indicam a frustração do mercado com a escolha da presidente.

"Ele já chega com um currículo manchado por denúncias de favorecimento, multas da Receita Federal e até com uma investigação por lavagem de dinheiro. E isso não era o desejável para a Petrobras", lamentou.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.