• AALR3 R$ 20,13 -0.84
  • AAPL34 R$ 65,69 -2.41
  • ABCB4 R$ 16,88 -2.65
  • ABEV3 R$ 13,85 -2.05
  • AERI3 R$ 3,65 -1.35
  • AESB3 R$ 10,68 -0.19
  • AGRO3 R$ 30,57 -0.88
  • ALPA4 R$ 19,92 -3.95
  • ALSO3 R$ 19,15 0.26
  • ALUP11 R$ 26,72 0.45
  • AMAR3 R$ 2,40 -1.64
  • AMBP3 R$ 30,06 -1.57
  • AMER3 R$ 23,18 0.39
  • AMZO34 R$ 65,83 -1.63
  • ANIM3 R$ 5,37 -2.54
  • ARZZ3 R$ 80,56 -0.79
  • ASAI3 R$ 15,62 1.10
  • AZUL4 R$ 20,99 -1.18
  • B3SA3 R$ 11,87 0.51
  • BBAS3 R$ 36,92 3.42
  • AALR3 R$ 20,13 -0.84
  • AAPL34 R$ 65,69 -2.41
  • ABCB4 R$ 16,88 -2.65
  • ABEV3 R$ 13,85 -2.05
  • AERI3 R$ 3,65 -1.35
  • AESB3 R$ 10,68 -0.19
  • AGRO3 R$ 30,57 -0.88
  • ALPA4 R$ 19,92 -3.95
  • ALSO3 R$ 19,15 0.26
  • ALUP11 R$ 26,72 0.45
  • AMAR3 R$ 2,40 -1.64
  • AMBP3 R$ 30,06 -1.57
  • AMER3 R$ 23,18 0.39
  • AMZO34 R$ 65,83 -1.63
  • ANIM3 R$ 5,37 -2.54
  • ARZZ3 R$ 80,56 -0.79
  • ASAI3 R$ 15,62 1.10
  • AZUL4 R$ 20,99 -1.18
  • B3SA3 R$ 11,87 0.51
  • BBAS3 R$ 36,92 3.42
Abra sua conta no BTG

Lewandowski acata pedido e Belluzzo depõe como informante

O professor seria a primeira testemunha a ser ouvida, mas a pedido do advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, foi rebaixado à condição de informante

	Belluzzo: o professor seria a primeira testemunha a ser ouvida, mas a pedido do advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, foi rebaixado à condição de informante
 (Divulgação / Agência Senado)
Belluzzo: o professor seria a primeira testemunha a ser ouvida, mas a pedido do advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, foi rebaixado à condição de informante (Divulgação / Agência Senado)
Por Da RedaçãoPublicado em 26/08/2016 14:27 | Última atualização em 26/08/2016 14:27Tempo de Leitura: 2 min de leitura

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que conduz o julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, acatou sugestão da defesa da petista de ouvir uma das testemunhas como informante e de dispensar outra.

O professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e doutor em economia Luiz Gonzaga Belluzzo, muito próximo da presidente, seria a primeira testemunha a ser ouvida nesta sexta-feira.

Mas a pedido do advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, foi rebaixado à condição de informante.

No início da manhã, Cardozo já havia solicitado a retirada da ex-secretária de Orçamento Federal e professora-adjunta do Instituto de Economia da UFRJ Esther Dweck do rol de testemunhas.

“Não quero expor uma professora universitária a tipos de questionamentos que não condizem com a verdade”, argumentou Cardozo ao fazer o pedido.

Esther foi solicitada para atuar na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, sob a presidência da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), aguerrida defensora de Dilma.

Ao retomar a sessão pouco depois das 13h nesta sexta-feira, Lewandowski informou que acataria o pedido da defesa e retiraria o depoimento de Esther.

O presidente do STF negou, no entanto, o pleito de aliados de Dilma, pedindo que o ex-auditor federal de Controle Externo do TCU Antonio Carlos Costa D’Ávila fosse rebaixado à condição de informante por ter admitido, ao responder uma pergunta do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) na véspera, que auxiliou o procurador junto ao TCU Júlio Marcelo de Oliveira a redigir peça sobre as pedaladas fiscais do governo Dilma.

A oitiva de D’Ávila começou na noite de quarta-feira e se estendeu até pouco depois da meia-noite. Para Lewandowski, o pedido teria de ser feito na ocasião, e não nesta sexta, após a conclusão do depoimento. (Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Veja Também

Leonardo Péricles
Eleicoes
Há 5 dias • 1 min de leitura

Leonardo Péricles

José Maria Eymael
Eleicoes
Há 5 dias • 2 min de leitura

José Maria Eymael