Justiça proíbe greve geral no Metrô de SP em horário de pico

A expectativa da categoria era parar cinco linhas do metrô nesta quarta-feira. Sindicato diz que greve será mantida

São Paulo - A  Justiça do Trabalho de São Paulo proibiu a paralisação total dos serviços do Metrô durante o horário de pico nesta quarta-feira (15), quando está prevista uma greve geral de diversas categorias pelo Brasil contra a reforma trabalhista e da Previdência propostas pelo governo de Michel Temer.

Segundo a decisão liminar, os metroviários de São Paulo terão de manter efetivo de 100% durante o horário de pico e 70% no resto do dia. A pena por descumprimento é de R$ 100 mil por dia.

Segundo a assessoria de imprensa da categoria, a paralisação de cinco linhas do Metrô está mantida a partir da meia-noite desta quarta apesar da determinação judicial. Neste momento, os metroviários estão reunidos em assembleia para decidir como isso será feito.

A expectativa é que as linhas 1- Azul, 2-Verde, 3-Vermelha, 5-Lilás e 15-Prata do Metrô fiquem paradas durante todo o dia em São Paulo. Apenas a linha 4-Amarela, que é administrada pela ViaQuatro, deve funcionar no dia de amanhã.

Ônibus 

A Justiça também vetou a paralisação completa dos motoristas de ônibus da cidade, que previam fazer greve da meia noite às 8 horas desta quarta-feira (15). Nas linhas que atendem escolas e hospitais, a frota mínima deve ser de 85%, segundo a decisão.

A juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, da 13ª Vara de Fazenda Pública, acolheu um pedido de liminar feito na segunda-feira, 13, pela gestão do prefeito João Doria (PSDB) contra a greve e definiu multa de R$ 5 milhões por hora caso o sindicato descumpra a decisão. 

Já o Tribunal Regional do Trabalho, a pedido da São Paulo Transportes (SPTrans), estatal municipal que administra o sistema de ônibus, proibiu a paralisação dos motoristas na cidade e determinou que 100% da frota circule na cidade nesta quarta. A multa, em caso de descumprimento, é de R$ 300 mil.

A EXAME.com, a assessoria de imprensa da categoria afirma que a greve está mantida. Já os ferroviários afirmam que vão manter as linhas da CPTM funcionando normalmente.

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.