Eleições 2022: 34 prisões já foram feitas por crime eleitoral

Ministro da Justiça afirmou que a operação para garantir a segurança das eleições já apreendeu mais de R$ 3 milhões relacionados a crimes eleitorais
 (Fernando Frazão/Agência Brasil)
(Fernando Frazão/Agência Brasil)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 01/10/2022 às 13:47.

Última atualização em 01/10/2022 às 13:48.

O ministro da Justiça, Anderson Torres, disse nesta manhã que a operação para garantir a segurança das eleições já apreendeu, desde o início na segunda-feira, mais de R$ 3 milhões relacionados a crimes eleitorais. Adicionalmente, 34 prisões já foram feitas desde segunda, por crime eleitoral.

"Os locais de votação estarão seguros, temos previsão de mais de 500 mil agentes de segurança para atuar no domingo", afirmou em coletiva de imprensa. "As polícias estaduais estão mais do que preparadas para atuar em qualquer situação, mas não tem como fazer previsão de confronto, não estamos indo para uma guerra", acrescentou.

De acordo com o ministro, a operação é integrada às 27 secretarias de segurança pública. Além dos agentes, ele relatou que são mais de 10 instituições participando do plano, como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Polícia Federal, Rodoviária, polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Ministério da Defesa, agências de inteligência, entre outras. Mais de 70 mil viaturas serão empregadas, além de aeronaves e nove embarcações.

"Até o momento, realizamos mais de 180 atividades", disse o secretário de operações integradas do Ministério da Justiça, Alfredo Carrijo.

Leia tudo sobre como votar

Leia tudo sobre as eleições 2022

Leia tudo sobre economia nas eleições

Veja as últimas pesquisas eleitorais