Jovem não está nem aí para cigarro no Brasil - veja a prova

Entre 2006 e 2012, o número de adolescentes que fumam caiu 45%, enquanto entre os adultos a diminuição foi de 20%. Veja os números que mostram a queda do tabaco no Brasil

São Paulo - Nos últimos seis anos, o Brasil conseguiu ver a quantidade de fumantes em território nacional diminuir 4 milhões. O número, que representa uma queda de 20% no consumo de cigarros, está no 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), sobre o uso do tabaco, realizado pela Universidade Federal de São Paulo (veja estudo ao final). 

Segundo a pesquisa, hoje 15,6% dos brasileiros se declaram fumantes. Em 2006, o percentual era de 19,3%. A queda mais impressionante, no entanto, é entre os jovens: 3,4% dos adolescentes disseram fumar em 2012, uma queda de 45% no período. 

Segundo o estudo, a redução do consumo entre os jovens é importante porque quanto mais precoce é o início do consumo, maior é a chance de dependência e do surgimento de doenças associadas ao vício. 

Com isso, é de se supor que a indústria terá um futuro difícil no país. 

De acordo com o Lenad, cerca de 400 mil pessoas morrem de câncer, doenças cardiovasculares, respiratórias, perinatais ou mesmo de incêndios causados pelo cigarro a cada ano. Veja a seguir 9 números ou curiosidades sobre a realidade nacional do tabaco hoje:

1) Começa-se a se fumar mais cedo (menos de 16 anos)

Apesar da redução de 45% no consumo de cigarros entre os jovens, a má notícia é que eles estão começando a fumar cada vez mais cedo. A média do início de experimentação de cigarros passou de 16,2 anos em 2006 para 15,9 anos em 2012.

2) 62% dos menores de idade conseguem comprar cigarro facilmente

A lei brasileira proíbe que jovens com menos de 18 anos comprem cigarros. Mesmo assim, 62% dos adolescentes disseram não encontrar nenhum problema para comprá-los. Os bares foram apontados como o lugar preferido para isso.

3) Quem fuma está fumando mais

Embora tenha diminuído o número de fumantes, os que mantém o hábito estão fumando mais. A média de cigarros consumidos aumentou de 12,9 cigarros por dia, em 2006, para 14,1 em 2012. Mais preocupante é a constatação que 2 em cada 10 pessoas fumam o primeiro cigarro do dia em menos de 5 minutos após acordar. 


4) 70 milhões fumam passivamente

Hoje, existem por volta de 70 milhões de fumantes passivos que, apesar de não colocarem o cigarro na boca, sofrem com os efeitos nocivos da fumaça. 

5) Quase 12% da população conseguiu largar

Atualmente, 11,3% da população brasileira conseguiu largar o vício no cigarro e se considera como ex-fumante. A maioria deles afirmou ter abandonado o tabaco por preocupações com a saúde.

6) Classe A está fumando mais

A única classe social em que não houve redução de fumantes foi na classe A, em que ocorreu um aumento de 110% no consumo.

7) Um em cada dois já experimentou

Pouco mais de 15% da população se declara como fumante. No entanto, metade dos brasileiros disseram já ter experimentado cigarro pelo menos uma vez na vida - e 50% destes mantiveram o hábito de fumar. 

8) Poucos fumantes agem de verdade para parar

Apesar de 90% dos fumantes afirmarem que gostariam de parar de fumar, apenas 17% deles está fazendo alguma coisa para conseguir isso.

9) Tratamento gratuito ajudaria

Para a maior parte dos fumantes, é o dinheiro que impede de largar o vício: 73% deles disseram que tentariam parar de fumar se tivessem acesso a tratamento gratuito.

//www.scribd.com/embeds/191317064/content?start_page=1&view_mode=scroll&access_key=key-182ibiqqfm510ijp8l4i&show_recommendations=true

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.