Incêndios na Amazônia brasileira aumentaram em julho

Inpe detectou 5.373 focos de incêndio nessa região neste ano, contra 4.977 em julho de 2021
 (Ueslei Marcelino/Reuters)
(Ueslei Marcelino/Reuters)
A
AFPPublicado em 01/08/2022 às 16:51.

O número de incêndios florestais na Amazônia brasileira aumentou 8% em julho em comparação com o mesmo mês do ano passado — revelam dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (1).

No mês passado, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) detectaram 5.373 focos de incêndio nessa região, contra 4.977 em julho de 2021.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.

Este número é ligeiramente superior ao de 2019 (5.318) e menor que o de 2020 (6.803), para um mês propenso a incêndios, devido ao início da estação seca.

Desde o início do ano, foram detectados 12.906 incêndios, o que representa um aumento de 13% em relação aos sete primeiros meses de 2021.

"Este é só o início do verão Amazônico, estação com menos chuvas e umidade, onde infelizmente a prática de queimadas e incêndios florestais criminosos explodem", disse o porta-voz da Amazônia do Greenpeace Brasil, Rômulo Batista.

Nesta época, há queimadas "nas áreas que foram derrubadas recentemente e deixadas para secar, ou mesmo queimando áreas de florestas que já foram degradadas pela extração ilegal de madeira", acrescentou.

Batista afirmou que, além de destruir a biodiversidade, a fumaça dos incêndios também afeta a saúde da população local.

(Agência AFP)

LEIA TAMBÉM:

Farm comemora plantio de meio milhão de árvores nativas

Restaurar ecossistemas pode gerar até 2,5 milhões de empregos no Brasil até 2030