Brasil
Acompanhe:

Haddad confirma reunião com Guedes e diz que encontro foi "excelente"

Favorito para assumir o Ministério da Fazenda disse que foi "bem recebido" e que agenda de trabalho será definida "a partir da semana que vem"

Fernando Haddad: favorito para a Fazenda se encontra com ministro da Economia (CARL DE SOUZA/Getty Images)

Fernando Haddad: favorito para a Fazenda se encontra com ministro da Economia (CARL DE SOUZA/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 8 de dezembro de 2022, 12h06.

Última atualização em 8 de dezembro de 2022, 12h14.

Favorito para assumir o Ministério da Fazenda, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) confirmou que se reuniu na manhã desta quinta-feira, 8, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, como antecipou o Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. Haddad afirmou ter sido bem recebido e que o encontro foi "excelente".

"Passamos em revista vários assuntos importantes. Obviamente que uma reunião de 1 hora e meia não é possível esmiuçar todos os assuntos, mas foi excelente reunião. Fui muito bem recebido, definimos agenda de trabalho a partir da semana que vem", afirmou o ex-ministro da Educação após o encontro, apenas entre os dois.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

De acordo com Haddad, que ainda não foi confirmado oficialmente na Fazenda pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, ele foi ao ministério na condução de interlocutor do grupo de economia da transição com as força políticas.

As agendas da semana que vem, esclareceu Haddad, terão mais foco nas secretarias da Pasta. "Concluídos os relatos do grupo de transição, a gente precisa sentar com secretários das pastas para que a gente saiba a rotina de trabalho, as agendas que estavam em curso", afirmou o favorito para a Fazenda.

O Ministério da Economia será desmembrado em três: Fazenda, Planejamento e Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC).

"É uma transição normal, natural, a gente quer que seja mais suave possível", afirmou Haddad.