Brasil

Governo retira meio milhão de famílias da fila do Auxílio Brasil

O pagamento do benefício foi antecipado para o dia 11 de outubro e vai atender ao todo 21,13 milhões de famílias que vão receber o valor turbinado de R$ 600

Ele destacou que 100% da população em situação de vulnerabilidade está sendo atendida pelo governo e que a fila do Auxílio Brasil foi zerada (Getty/Getty Images)

Ele destacou que 100% da população em situação de vulnerabilidade está sendo atendida pelo governo e que a fila do Auxílio Brasil foi zerada (Getty/Getty Images)

AO

Agência O Globo

Publicado em 4 de outubro de 2022 às 13h07.

Última atualização em 4 de outubro de 2022 às 13h48.

Em meio à campanha eleitoral de segundo turno, em que o presidente Jair Bolsonaro disputa a reeleição, o governo anunciou a inclusão de 500 mil famílias no programa Auxílio Brasil. O pagamento do benefício foi antecipado para o dia 11 de outubro vai atender ao todo 21,13 milhões de famílias que vão receber o valor turbinado de R$ 600. Outras 5,9 milhões vão ganhar o vale gás no valor de R$ 112.

A Caixa Econômica Federal convocou uma entrevista, nesta terça-feira, para explicar a antecipação do calendário de pagamento do Auxílio Brasil. O ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, também participou do evento e disse o Auxílio Brasil, substituto do Bolsa Família, criado na gestão petista, oferece um “trampolim” e não funciona como “âncora que aprisiona as pessoas pobres”.

Ele destacou que 100% da população em situação de vulnerabilidade está sendo atendida pelo governo e que a fila do Auxílio Brasil foi zerada.

A presidente da Caixa, Daniella Marques, confirmou que o banco vai começar a ofertar o crédito consignado para os beneficiários do Auxílio Brasil a partir de segunda quinzena de outubro. Segundo ela, os juros a serem cobrados na modalidade ficarão um pouco abaixo do teto fixado pelo governo de 3,5% ao mês.

Marques aproveitou o mês de conscientização contra o câncer em mulheres, Outubro Rosa, para anunciar o engajamento do banco na campanha com a distribuição de material informativo e novos produtos de seguro e previdência para o público feminino.

A população de baixa renda e as mulheres são dois dos principais alvos de Bolsonaro na corrida ao Palácio do Planalto. Bolsonaro tenta ganhar votos para superar o candidato Luiz Inácio Lula da Silva.

Veja também: 

Eleições 2022: quais são as principais promessas de Lula e Bolsonaro para a economia

Centrão mantém domínio político na Câmara e será desafio de futuro governo

Acompanhe tudo sobre:Auxílio Brasileconomia-brasileiraGoverno Bolsonaro

Mais de Brasil

Comissão da Câmara discute criação de auxílio para pessoas atingidas pelas enchentes no RS

Governo de SP confirma Equatorial como investidora estratégica da Sabesp

Moraes determina que PGR se manifeste sobre norma do CFM que restringia aborto legal

Tramonte lidera as intenções de voto para prefeitura de BH, aponta pesquisa Quaest

Mais na Exame