Brasil
Acompanhe:

Gleisi isenta governo de alta da gasolina e fala em 'fim da dolarização'

Ainda segundo ela, o governo vai trabalhar pela mudança da atual política de preços da empresa, que atrela os reajustes aos valores praticados internacionalmente, em dólar

Gleisi: "Reajuste da gasolina acontece antes de Jean Paul assumir a Petrobras" (JEFFERSON BERNARDES/Getty Images)

Gleisi: "Reajuste da gasolina acontece antes de Jean Paul assumir a Petrobras" (JEFFERSON BERNARDES/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

25 de janeiro de 2023, 09h09

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, criticou o aumento do preço da gasolina anunciado na terça-feira pela Petrobras e isentou o governo federal de responsabilidade pelo reajuste.

"Reajuste da gasolina acontece antes de Jean Paul assumir a Petrobras. Notícia é de que foi pressão dos acionistas", disse a deputada federal pelo Paraná ao destacar que a alta acontece antes de Prates, indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), assumir o comando da estatal.

Ainda segundo ela, o governo vai trabalhar pela mudança da atual política de preços da empresa, que atrela os reajustes aos valores praticados internacionalmente, em dólar.

"Nosso compromisso é por fim à dolarização e à política de venda dos ativos. Riquezas da estatal deverão ser partilhadas com o povo brasileiro, que é o seu dono", afirmou.

A Petrobras anunciou que o preço médio de venda de gasolina para as distribuidoras passará de R$ 3,08 para R$ 3,31 por litro. O aumento de 23 centavos por litro equivale a um reajuste de 7 46%.

A alta é a primeira do governo Lula, mas vale lembrar que a atual direção da companhia não foi trocada pelo novo presidente e permanece a mesma deixada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).