Brasil
Acompanhe:

Gilson Dipp, ministro aposentado do STJ e ex-corregedor nacional de Justiça, morre aos 78 anos

Magistrado foi o primeiro coordenador da Comissão Nacional da Verdade, que investigou crimes cometidos na ditadura militar

Gilson Dipp: Causa da morte do ministro não foi divulgada (Agência Brasil/Agência Brasil)

Gilson Dipp: Causa da morte do ministro não foi divulgada (Agência Brasil/Agência Brasil)

A
Agência O Globo

29 de novembro de 2022, 14h21

O ministro aposentado e ex-vice presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp morreu nesta segunda-feira, aos 78 anos. A causa da morte não foi divulgada.

Dipp integrou por 16 anos o STJ, onde ocupou as cadeiras de presidente da Quinta Turma e de vice-presidente da Corte, assim como do Conselho da Justiça Federal (CJF). Também foi membro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entre 2011 e 2013. Dipp atuou ainda como corregedor nacional de Justiça.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Um dos postos de maior destaque ocupados por ele foi o de coordenador da Comissão Nacional da Verdade (CNV). Instalado em 2012, pelo governo de Dilma Rousseff (PT), o colegiado tinha a missão de investigar violações aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988, durante a ditadura militar.

Em 2019, em meio a uma polêmica criada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que classificou os documentos produzidos pela Comissão Nacional da Verdade de "balela", Dipp lembrou que o trabalho desenvolvido pelo grupo era assunto de Estado, não de governo.

"A Comissão Nacional da Verdade foi criada após amplo debate, com a participação de diversos atores da sociedade, inclusive das Forças Armadas", disse Dipp, na ocasião, ao jornal Valor Econômico.

Após se aposentar, ele passou a atuar na advocacia e manteve um escritório em Brasília. Nesse período, advogou para políticos que tiveram problemas com a Justiça como o ex-senador petista Delcídio do Amaral, investigado durante a Operação Lava-Jato.

Nascido em 1º de outubro de 1944 em Passo Fundo (RS), formou-se em ciências jurídicas e sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1968. Ele tomou posse como juiz do Tribunal Regional Federal da 4ª Região em 1989, corte que presidiu entre 1993 e 1995. Dipp era casado e deixa três filhos.

LEIA TAMBÉM: