Brasil

Gestão Tarcísio vai revisar estatísticas criminais divulgadas pelo governo Rodrigo Garcia

“A Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da SSP identificou que parte das ocorrências de roubos e furtos de veículo em diferentes regiões do Estado foi registrada equivocadamente em outros indicadores

Segundo a SSP, os números foram revisados com base nos boletins de ocorrência (Sergio Barzaghi / Governo do Estado de SP/Flickr)

Segundo a SSP, os números foram revisados com base nos boletins de ocorrência (Sergio Barzaghi / Governo do Estado de SP/Flickr)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 26 de maio de 2023 às 12h49.

Última atualização em 26 de maio de 2023 às 13h06.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) afirmou nesta quinta-feira, 25, ter encontrado divergências nos dados estatísticos criminais de abril deste ano ao compará-los com índices divulgados no mesmo mês do ano anterior. Segundo a SSP, os número foram revisados com base nos boletins de ocorrências.

O que alega a SSP?

“A Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da SSP identificou que parte das ocorrências de roubos e furtos de veículo em diferentes regiões do Estado foi registrada equivocadamente em outros indicadores, impactando diretamente os dados de crimes patrimoniais consolidados no período”, afirma a SSP em comunicado.

Desta forma, segundo a pasta, será iniciado um processo de auditoria e análise dos dados criminais relativos a todos os demais meses de 2022. “De modo que os dados possam ser confirmados ou readequados, devidamente acompanhados dos respectivos registros criminais [boletins de ocorrência] que os fundamentaram e, assim, sejam devidamente implementados os mecanismos de ampliação da transparência das informações sobre segurança pública no Estado de São Paulo, exigidos pela população paulista por meio dos devidos canais democráticos”, afirmou ainda.

Dados inconsistentes

Diante dos dados inconsistentes, as análises comparativas entre os dados e registros criminais relativos aos meses de abril de 2022 e abril de 2023 também foram aprofundadas. “Constatou-se que os dados estatísticos publicados a respeito do mês de abril de 2022 no Estado de São Paulo não correspondiam aos registros criminais [boletins de ocorrência] constantes nas bases de dados da Secretaria da Segurança Pública e, deste modo, em aparente dissonância dos termos previstos pela Resolução SSP nº 160/01", disse.

Ainda de acordo com a SSP, a pasta apresenta os dados dos indicadores criminais relativos ao mês de abril deste ano de modo concomitante aos dados de indicadores criminais, consolidados a partir dos registros constantes nas bases atuais de dados da secretaria, relativos ao mês de abril do ano passado.

“O objetivo é continuar com o processo de ampliação da transparência e de auditabilidade dos dados e informações criminais da segurança pública do Estado iniciado a partir de 1º de janeiro de 2023, o que tem possibilitado a apresentação, desde o mês de fevereiro deste ano, da publicação não apenas dos dados estatísticos como também a disponibilização total e individualizada dos registros criminais [boletins de ocorrência] relativos a cada dado ou informação dos respectivos indicadores” afirmou a SSP.

Procurado, o ex-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), administrador do governo paulista na época, não se manifestou até o final da manhã desta sexta-feira. A reportagem também não conseguiu contato com o general João Camilo Pires de Campos, ex-secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, que estava no comando da pasta no ano passado.

Acompanhe tudo sobre:Tarcísio Gomes de FreitasRicardo NunesViolência urbanaDados de Brasil

Mais de Brasil

Aeroportos, portos, energia e água: Servidores anunciam greve geral; entenda

'Prioridade é acelerar investimentos e universalizar até 2029': Natália Resende analisa nova Sabesp

União Europeia doa 20 milhões de euros ao Fundo Amazônia

Novo lança candidatura de Carol Sponza à prefeitura do RJ com apelo ao voto feminino

Mais na Exame