Folha de pagamento na indústria cai 1,3% em novembro

Apesar do resultado, ano 2010 acumulou alta de 6,9% até o mês; São Paulo, Minas Gerais e Nordeste lideram o aumento

O valor da folha de pagamento real (descontada a inflação) dos trabalhadores da indústria caiu 1,3% em novembro ante outubro do ano passado, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com novembro de 2009, porém, a folha de pagamento real no setor cresceu 7,4% em novembro de 2010, na décima primeira taxa positiva consecutiva, nesta base de comparação. Até novembro de 2010, o valor da folha acumula alta de 6,9% no ano e de 5,7% em 12 meses. A taxa acumulada em 12 meses é a mais elevada desde dezembro de 2008, de 6,0%.

Na análise por regiões, o IBGE informou que o valor da folha de pagamento cresceu em 13 dos 14 locais pesquisados em novembro ante o mesmo mês do ano passado. Os destaques positivos ficaram com os aumentos registrados em São Paulo (5,1%), na região Nordeste (11,2%) e em Minas Gerais (10,2%).

Na análise setorial feita pelo IBGE, o valor da folha de pagamento real cresceu em 16 dos 18 setores industriais em novembro de 2010 ante o mesmo mês do ano anterior. Os destaques positivos ficaram com as altas apuradas em meios de transportes (12,8%), indústria extrativa (22,3%), máquinas e equipamentos (9 0%), produtos de metal (13,3%) e alimentos e bebidas (4,7%). Porém, na mesma base de comparação, houve quedas no valor de folha de papel e gráfica (baixa de 8,5%) e fumo (recuo de 4,3%).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.