Flamengo pagou 10 de 31 multas por irregularidades no CT

Segundo a Secretaria Municipal de Fazenda do Rio, houveram tentativas para fechar o Centro de Treinamento ao longo de 14 meses

A Secretaria Municipal de Fazenda do Rio informou neste sábado que o Flamengo pagou 10 das 31 multas aplicadas pelo órgão por irregularidades no Centro de Treinamento do Ninho do Urubu, em Vargem Grande, onde aconteceu o incêndio que matou dez adolescentes na sexta-feira.

Em nota, a secretaria explicou que, por questões de sigilo fiscal, não pode divulgar os valores das multas. A primeira foi aplicada em 20 de outubro de 2017 e a última aconteceu em 14 de dezembro do ano passado.

“A Secretaria Municipal de Fazenda atuou de forma diligente e tentou fechar o CT ao longo de 14 meses, mas as determinações dos fiscais da Fazenda foram ignoradas”, diz a nota.

Nas primeiras horas da última sexta-feira, um incêndio tomou conta do alojamento das categorias de base do Flamengo no Ninho do Urubu. Dez jogadores entre 14 e 17 anos morreram e outras três pessoas ficaram feridas. O presidente Rodolfo Landim classificou o ocorrido como a maior tragédia da história do clube.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

ATENÇÃO: Mudança na sua assinatura da revista EXAME. A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos apenas uma edição por mês. Saiba mais