Escola onde ocorreu tragédia no Rio ficará interditada

Para a realização da perícia, polícia civil vai isolar o local

Brasília - A Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, onde houve a tragédia hoje (7) de manhã, ficará fechada por tempo indeterminado. O aviso foi dado hoje pela chefe da Polícia Civil do Estado do Rio, Martha Rocha. Segundo a delegada-chefe, a decisão foi tomada para a realização de perícias e todas as investigações.

De acordo com Martha Rocha, a “escola ficará interditada” para a perícia criminal. A delegada informou também foram reforçados os serviços de necrotério e de identificação das vítimas. O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, acrescentou ainda que as vítimas estão sendo levadas para vários hospitais da capital.

O subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Secretaria de Segurança do Estado do Rio, Roberto Sá, disse que as autoridades vão acompanhar de perto os trabalhos de perícia na escola. Sá definiu o atirador Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, como “debilitado mental” e “psicopata”.

As autoridades ainda não identificaram as motivações de Wellington para o crime. Pelos dados oficiais, dez crianças e adolescentes morreram, além do atirador, e 17 ficaram feridas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.