• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Entrega diária de 1 milhão de doses da Pfizer será rotina até o fim do ano

O Brasil adquiriu em dois contratos um total de 200 milhões de doses de vacina da Pfizer. Mais de 19 milhões já foram entregues
 (Exame/Leandro Fonseca)
(Exame/Leandro Fonseca)
Por Gilson Garrett JrPublicado em 24/07/2021 08:35 | Última atualização em 23/07/2021 17:52Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A megaoperação de 13 dias que a Pfizer/BioNTech montou para entregar 1 milhão de doses de vacina contra a covid-19 por dia desde a última terça-feira, 20, será uma rotina na distribuição do laboratório até o fim do ano. A previsão foi revelada por Lucila Mouro, diretora de vacinas da Pfizer Brasil, em entrevista exclusiva à EXAME.

“O nosso status quo vai ser agora de megaoperação porque o número de doses, que vai ser entregue em agosto e em setembro, e também nos últimos três meses do ano, vai seguir esse volume muito parecido, com média semanal muito parecida com o que vamos viver nessas próximas duas semanas”, disse Lucila Mouro em entrevista.

Até o momento, o laboratório já entregou ao Brasil mais de 19 milhões de doses. E para acelerar ainda mais o processo de entregas, montou uma megaoperação para enviar mais de 13 milhões de vacinas em duas semanas, até o dia 1⁰ de agosto. Essa entrega em volume milionário é um teste para transportar diariamente o montante contratado pelo governo brasileiro.

O Ministério da Saúde fechou dois contratos para a compra de vacinas com a Pfizer. O primeiro contempla 100 milhões de doses até o fim de setembro, e o segundo, com mais 100 milhões de doses, com entregas no último trimestre de 2021.

“Estamos muito confiantes com tudo o que desenvolvemos até agora, além das parcerias com todas as entidades. Já temos mais de 800 milhões de doses entregues em mais de 100 países e uma taxa de efetividade de entrega de 99%”, ressalta Lucila Mouro.

A primeira megaentrega é feita via aeroporto de Viracopos, em Campinas, e as vacinas vêm da fábrica da Pfizer em Kalamazoo, no estado do Michigan, nos Estados Unidos. Elas então são transportadas até Miami, e depois em um voo direto ao Brasil. Em território nacional, o imunizante é transportado ao centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, para ser enviado aos estados.

A partir de agosto, as doses podem vir da fábrica que fica em Puurs, na Bélgica. A Pfizer não descarta a possibilidade de receber autorização de importar a vacina de outras plantas espalhadas pelo mundo.

Como funciona a vacina da Pfizer?

A vacina do laboratório Pfizer/BioNTech usa a nova tecnologia chamada de genética do RNA mensageiro. Dentro do imunizante há uma proteína do coronavírus que estimula o corpo a produzir anticorpos e impedir a infecção.

Ela é aplicada em duas doses, com intervalo de 21 dias e tem eficácia global de 95%. No Brasil, o Ministério da Saúde optou por usar com intervalo de três meses, o mesmo usado em outros países, como o Reino Unido.


Toda semana tem um novo episódio do podcast EXAME Política. Clique aqui para ver o canal no Spotify, ou siga em sua plataforma de áudio preferida.