Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Em evento do novo partido de Bolsonaro, militantes hostilizam jornalistas

Lançamento da legenda teve críticas ao comunismo e discurso do presidente, mas sigla ainda tem longo caminho para ser criado oficialmente

Modo escuro

Jair Bolsonaro: presidente participou de evento de lançamento de novo partido após saída do PSL  (Ueslei Marcelino/Reuters)

Jair Bolsonaro: presidente participou de evento de lançamento de novo partido após saída do PSL (Ueslei Marcelino/Reuters)

R
Reuters

Publicado em 21 de novembro de 2019 às, 19h47.

Brasília — Jornalistas foram hostilizados por militantes e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro no primeiro evento do partido que pretende criar, o Aliança pelo Brasil, em Brasília.

Realizada em um hotel de luxo de Brasília, a primeira convenção da sigla contou com aguerridos participantes populares, que alteravam gritos de guerra em apoio ao presidente com xingamentos a profissionais de imprensa como "lixo", "esquerdistas" e "raça imunda".

As manifestações da militância tinham a TV Globo, e os jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo como alvos preferidos, ainda que as ofensas fossem proferidas contra os jornalistas em geral.

Os profissionais de imprensa puderam acompanhar o evento, que ocorria em um ambiente fechado no hotel, do lado de fora, no gramado, separados dos simpatizantes de Bolsonaro por cercas de metal.

Não é a primeira vez que a imprensa é tratada com agressividade por simpatizantes de Bolsonaro. O Palácio da Alvorada, onde mora o presidente, já foi palco de intimidações e constrangimentos a jornalistas por parte de militantes.

Até mesmo o presidente tem a imprensa como alvo em discursos e declarações, e, mais recentemente, além de ameaçar seus anunciantes, tomou providências práticas contra o setor. A primeira delas, uma medida provisória, desobrigava empresas a publicarem seus balanços em jornais de grande circulação.

Ao anunciar a proposta, com potencial de reduzir fortemente as receitas de alguns desses veículos, Bolsonaro chegou a, ironicamente, afirmar que a imprensa apoiaria a medida, que não contou com a simpatia da maioria do Congresso Nacional.

Depois, em outra MP que trata de incentivos para a contratação de jovens, o governo estabeleceu a retirada da exigência do registro profissional para a profissão de jornalista no país, ideia duramente criticada por entidades da classe e sindicatos.

Bolsonaro determinou ainda o cancelamento de todas as assinaturas da Folha no governo federal, alertando que anunciantes do jornal deveriam "prestar atenção".

No discurso desta quinta, foi a vez de Bolsonaro focar na TV Globo, a quem acusa de ter um acordo com o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), para atacá-lo e também a membros de sua família.

Bolsonaro não é o único a atacar a imprensa. Quando presidente, o petista Luiz Inácio Lula da Silva atacava veículos de comunicação e apoiadores seus se referiam a eles como PIG, ou o Partido da Imprensa Golpista.

Recentemente, depois de deixar a prisão, Lula voltou à carga, criticando as Redes Globo, Record e SBT.

Últimas Notícias

ver mais
Sindicatos do Metrô, CPTM e Sabesp suspendem greve e prometem seguir mobilizados contra privatização
Brasil

Sindicatos do Metrô, CPTM e Sabesp suspendem greve e prometem seguir mobilizados contra privatização

Há 6 horas
STF determina que União e Estados apresentem planos para pôr fim a violações em presídios
Brasil

STF determina que União e Estados apresentem planos para pôr fim a violações em presídios

Há 8 horas
Greve na CPTM: Justiça aumenta para R$ 1,5 milhão multas para sindicatos
Brasil

Greve na CPTM: Justiça aumenta para R$ 1,5 milhão multas para sindicatos

Há 8 horas
STF decide que servidor aposentado antes de 2008 pode ter reajuste por índice do INSS
Brasil

STF decide que servidor aposentado antes de 2008 pode ter reajuste por índice do INSS

Há 9 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais