Em Brasília, Simone Tebet promete concluir creches inacabadas

Candidata também defendeu que R$ 600 seja o piso do Auxílio Brasil
Saneamento básico foi outro tema abordado pela candidata na manhã de hoje (SERGIO LIMA/AFP)
Saneamento básico foi outro tema abordado pela candidata na manhã de hoje (SERGIO LIMA/AFP)
A
Agência Brasil

Publicado em 17/08/2022 às 17:42.

Última atualização em 17/08/2022 às 17:46.

A candidata do MDB à Presidência da República, Simone Tebet, cumpriu agenda nesta quarta-feira, 17, em Brasília, onde visitou uma creche na região administrativa Estrutural, situada na periferia da capital federal. Ao afirmar que educação será prioridade, caso seja eleita, a candidata defendeu a conclusão de todas as escolas e creches inacabadas.

“Ao lado dos prefeitos, vamos concluir todas as escolas e creches inacabadas. São mais de 2 mil. Estamos falando de algo em torno de R$ 1,5 bilhão, quase R$ 2 bilhões, não é muita coisa. E vamos fazer parcerias com os municípios, especialmente nas creches e na primeira infância”, disse.

Quer saber tudo sobre a corrida eleitoral? Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e fique por dentro.

Saneamento básico

Saneamento básico foi outro tema abordado pela candidata na manhã de hoje. Ela lembrou que o Congresso Nacional aprovou o marco legal do saneamento. A norma prevê que até 2033 todas as cidades terão que ter pelo menos 90% de esgoto tratado no Brasil, além do fim dos lixões até 2026, e a universalização da água.

“Nós sabemos que a cada R$1 que colocamos em saneamento básico, nós economizamos R$4 em saúde pública, sabemos que a cada esgoto tratado é menos criança morrendo, é menos mortalidade infantil”, ressaltou.

LEIA TAMBÉM: Saneamento básico: com inflação, custo para universalização é de quase R$ 900 bi

Auxílio Brasil

Sobre o pagamento do Auxílio Brasil, a presidenciável disse que, se eleita, vai continuar com o programa, mas defendeu que o valor de R$ 600 seja apenas o piso do benefício. “Vamos ter como piso R$ 600 e para os miseráveis, valores diferenciados a depender do tamanho da família. Dinheiro tem, ele só está sendo desviado por corrupção ou pelo orçamento secreto, nós vamos redesenhar o orçamento brasileiro”, disse.

Simone Tebet ressaltou ainda que, em um eventual governo dela, vai recriar o Ministério do Planejamento e resgatar o dinheiro público para dentro do Executivo. “Quem tem a chave do cofre na mão, quem sabe onde estão os gargalos, as deficiências, tem condições com transparência, junto com os órgãos de fiscalização e controle, fazer uma boa gestão é o Poder Executivo e é isso que vamos fazer”.

Ensino médio

Ao falar de educação, Simone Tebet avaliou que, apesar da aprovação da reforma do ensino médio, falta vontade política de regulamentar a norma, e com isso, pagar o que a lei já diz: R$ 2 mil por aluno para cada escola que garanta período integral no ensino médio. Às 16h, ainda hoje, a candidata cumpre agenda na capital paulista, onde visitará o Hospital e Maternidade Amparo Maternal.

LEIA TAMBÉM:

Entrevista, encontro com empresários e caminhada: veja agenda dos presidenciáveis nesta quarta

Tebet inicia campanha na casa de Teresa e Candido Bracher