Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Eleições 2022: adiamento de prévias ganha força no PSDB

Risco de nova onda de Covid-19 e de exposição precoce de candidato são citados como motivos para mudança; Doria quer escolha interna em outubro

A proposta de adiar para o ano que vem as prévias para a escolha do candidato do PSDB ao Palácio do Planalto em 2022 ganhou força nos últimos dias. Dirigentes simpáticos à ideia dizem que o possível aumento de casos da Covid-19 no segundo semestre inviabilizaria a discussão sobre o candidato tucano. Além disso, argumentam que há risco de um candidato precoce ficar exposto a ataques dos adversários e que a mudança da data seria uma deferência ao senador Tasso Jereissati (CE), o primeiro a defender a sugestão publicamente, no último domingo, ao jornal “O Estado de S. Paulo”.

Além de Tasso, o deputado Aécio Neves (MG) disse ontem que a prévia deveria ficar para março, depois de esgotadas as negociações em torno de uma candidatura de centro. O presidente do PSDB, Bruno Araújo, e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, também não se opõem ao adiamento. Por enquanto, o governador de São Paulo, João Doria, é um dos poucos que ainda querem que as prévias neste ano.

—Adiar as prévias é vulnerabilizar sua importância. Quem não quer prévias adia —disse Doria.

Atualmente a escolha interna está marcada para 17 de outubro. Um comitê partidário começou a discutir quem poderá votar, qual será o peso de quem tem cargo e outras regras.

— Estabeleci uma data para que o processo não caísse em descrédito. Mas não tenho pensamento fixo com nada sobre o regramento das prévias — disse Araújo.

Leite deixa claro que não vê a data como uma questão crucial.

— Não temos segurança ainda de que condições sanitárias teremos em outubro — disse o gaúcho.

Discussão sobre o centro

A possibilidade de adiamento gera preocupação entre tucanos. Integrante da comissão das prévias e aliado de Aécio, o ex-deputado Marcus Pestana avalia que, ao demorar na escolha, o partido pode perder a frente da discussão sobre quem é o nome do centro. Aécio tem defendido que primeiro se busque o consenso nesse grupo político.

—A frequência com que Aécio mantém essas reflexões pelos jornais, pode levar a pensar que há uma torcida para que não tenhamos candidato à Presidência — disse Araújo.

Em nota, Aécio afirmou que Araújo não entendeu bem sua proposta: “Defendo a construção de uma candidatura única de centro. Não creio que lançar uma candidatura em outubro pelo PSDB possa ajudar nisso. Não sendo possível essa construção, realizamos as prévias em março”.

Quer saber tudo sobre a corrida eleitoral de 2022? Assine a EXAME e fique por dentro.

O podcast EXAME Política vai ao ar todas as sextas-feiras. Clique aqui para seguir no Spotify, ou ouça em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também