Brasil

Aécio diz que governo coloca em dúvida todos os dados

Candidato criticou duramente o governo depois que o IBGE informou que havia erros nos resultados da PNAD


	O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, em campanha
 (Bruno Magalhães/Coligação Muda Brasil)

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, em campanha (Bruno Magalhães/Coligação Muda Brasil)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de setembro de 2014 às 21h06.

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, criticou duramente o governo nesta sexta-feira depois que o IBGE informou que havia erros nos resultados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (PNAD) anunciados na véspera e que a concentração de renda no país caiu no ano passado, ao contrário do que tinha sido divulgado.

"É impressionante o dano que o governo federal vem causando às instituições do país", disse Aécio em nota. "Na ânsia de se manter no poder, o governo não hesita sequer em colocar em xeque instituições que são guardiãs da memória da sociedade brasileira."

"A pressão do governo sobre os pesquisadores e demais profissionais de institutos como o IBGE e IPEA e o sucateamento desses acabam colocando em dúvida todos os dados apresentados, inclusive, e sobretudo, os positivos", acrescentou.

Segundo o coordenador da PNAD, Cimar Azeredo, foi utilizada uma projeção de população incorreta em áreas que há mais de uma região metropolitana, causando erros em alguns resultados dos estudo.

O índice de Gini domiciliar, que mede a concentração de renda, recuou em 2013 para 0,497 ante 0,499 em 2012. Na quinta-feira, o IBGE tinha informado que o índice tinha subido para 0,500.

Pelos critérios do indicador, quanto mais perto de zero menor é a desigualdade de um país.

Acompanhe tudo sobre:aecio-nevesEleiçõesEleições 2014EstatísticasIBGEOposição políticaPartidos políticosPersonalidadesPNADPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirosPSDB

Mais de Brasil

Governo de SP entrega 107 obras de infraestrutura turística no 1º semestre e bate recorde

Brasil precisa superar déficit de cidadania, afirma presidente da Politize!

Aos 78 anos, morre o ex-governador do Acre Romildo Magalhães

Morre o jornalista Sérgio Cabral, pai, aos 87 anos

Mais na Exame