Defesa pede que Justiça conceda liberdade a Queiroz

Pedido anterior, que foi negado, falava apenas em prisão domiciliar para o ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Em um pedido de habeas corpus impetrado no último sábado junto ao Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), a defesa de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, pede que ele seja colocado em liberdade e questiona os fundamentos de sua prisão preventiva. Queiroz está detido no Complexo de Gericinó (Bangu 8), na Zona Oeste do Rio, desde o dia 18 de junho, por decisão do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio, posteriormente afastado do caso.

No dia seguinte à prisão, o advogado Paulo Emílio Catta Preta já havia impetrado um habeas corpus em favor de Queiroz, com um pedido para que o regime da preventiva fosse alterado para a modalidade domiciliar, sob a argumentação de que ele correria risco de saúde permanecendo na penitenciária durante a pandemia da Covid-19, uma vez que sofre com um câncer no intestino. A demanda não foi atendida pela desembargadora Suimei Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal do TJRJ. No novo documento apresentado por Catta Preta, ele requer a liberdade do investigado.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.