De R$ 197 a R$ 24 milhões: o patrimônio declarado dos candidatos a presidente da República

O maior patrimônio é Felipe D'Avila (Novo), que declarou ter R$ 24 milhões. O mais baixo é do candidato da UP, Léo Péricles, que afirmou ter R$ 197,31
Palácio do Planalto: TSE recebeu nove candidaturas. (Adriano Machado/Reuters)
Palácio do Planalto: TSE recebeu nove candidaturas. (Adriano Machado/Reuters)
D
Da Redação

Publicado em 10/08/2022 às 16:50.

Última atualização em 10/08/2022 às 16:59.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou os bens declarados dos candidatos a presidente da República que já fizeram o registro da candidatura junto à Justiça Eleitoral.

A divulgação começou a ser feita desde o domingo, 7, quando os registros de candidatura começaram a chegar até os sistemas do tribunal. Os registros ocorreram após a homologação dos respectivos nomes nas convenções partidárias realizadas pelas legendas.

O maior patrimônio é Felipe D'Avila, do Novo, que declarou ter R$ 24 milhões. O mais baixo é do candidato da Unidade Popular, Léo Péricles, que afirmou ter R$ 197,31.

Até a última atualização deste conteúdo, nove partidos e coligações haviam feito o registro de candidatos à Presidência. O prazo termina no dia 15 de agosto. A lista foi formatada em ordem alfabética.

VEJA TAMBÉM: Mara Gabrilli, vice de Tebet, declara patrimônio de R$ 12,9 milhões ao TSE

Ciro Gomes (PDT) - R$ 3 milhões

O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomesdeclarou R$ 3 milhões em bens à Justiça Eleitoral, quase o dobro do valor declarado em 2018, de R$ 1,6 milhão. O patrimônio inclui quatro imóveis, dois veículos e investimento em plano de previdência privada.

Felipe D'Avila (Novo) - R$ 24 milhões

O candidato do partido Novo, Felipe D'Avila, declarou um total de R$ 24.619.627,66 em bens. A maior parte deste total é uma cota empresarial no valor de R$ 10.329.000. Ele ainda declarou uma casa no valor de R$ 2,3 milhões.

Jair Bolsonaro (PL) - R$ 2,3 milhões

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, declarou um valor de R$ 2.317.554,73 em bens ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na lista de itens, o que tem o maior valor é uma casa, declarada por R$ 603.803,54. Na caderneta de poupança, Bolsonaro declarou ter uma aplicação no valor de R$ 591.047,58.

Léo Péricles (UP) - R$ 197,31

O candidato com menor patrimônio declarado é Léo Péricles, do Unidade Popular. Em sua declaração enviada ao TSE, ele disse ter R$ 197,31 em caderneta de poupança.

Lula (PT) - R$ 7,4 milhões

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou ao Tribunal Superior Eleitoral um patrimônio de R$ 7,4 milhões em bens. Entre os itens declarados está um apartamento, no valor de R$ 94.571,25, e R$ 5,5 milhões em previdência privada na modalidade VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). Ele também tem um valor em conta corrente de R$ 18.681,23.

Pablo Marçal (Pros) - R$ 16 milhões

O coach motivacional Pablo Marçal (Pros) disse ao TSE ter um patrimônio de R$ 16.942.541,15. O bem de maior valor é um conjunto de participações societárias no valor de R$ 13.712.659.

Simone Tebet (MDB) - R$ 2,3 milhões

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), candidata à presidência da República, declarou patrimônio de R$ 2,3 milhões. Na prestação de contas enviada à Justiça Eleitoral, Tebet declarou seis apartamentos no valor de R$ 200 mil cada, um apartamento de R$ 310 mil, duas casas de R$ 52 mil e R$ 69 mil e quatro terrenos.

Sofia Manzano (PCB) - R$ 498 mil

A candidata pelo PCB, Sofia Manzano, disse ao TSE ter patrimônio de R$ 498.000. Uma casa, declarada por de R$ 294.000, é o item de maior valor.

Vera Lúcia (PSTU) - R$ 8,8 mil

Vera Lúcia, candidata do PSTU, declarou ter uma aplicação na caderneta de poupança no valor de R$ 8.805.

LEIA TAMBÉM