Coronavac para crianças e atos de servidores são destaques da semana

Nos últimos dias, a Anvisa aprovou o uso da Coronavac em crianças e adolescentes, mas adiou a decisão a respeito da liberação do uso de autotestes para covid-19
 (Ueslei Marcelino/Reuters)
(Ueslei Marcelino/Reuters)
Por Alessandra Azevedo, de BrasíliaPublicado em 21/01/2022 16:44 | Última atualização em 21/01/2022 16:44Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Nos últimos dias, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso da vacina Coronavac em crianças e adolescentes, mas adiou a decisão a respeito da venda de autotestes para a covid-19. Na terça-feira, 18, servidores públicos paralisaram as atividades e fizeram manifestações por reajustes salariais.

  • Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.

Veja os destaques: 

Coronavac para crianças

A Anvisa decidiu na quinta-feira, 20, autorizar a aplicação da vacina Coronavac em crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos. A agência vetou o uso em pessoas imunossuprimidas, com baixa imunidade. A imunização será feita em duas doses, com intervalo de 28 dias entre elas. O governo de São Paulo já começou a aplicar a vacina em crianças e adolescentes. 

Adiamento da decisão sobre autoteste

A Anvisa adiou a decisão a respeito da liberação do uso de autotestes para covid-19. Em reunião na quarta-feira, 19, quatro dos cinco diretores concordaram que é preciso mais informações para avaliar o caso e cobraram do Ministério da Saúde a formalização de política pública voltada à autotestagem.

Paralisação de servidores

Servidores públicos federais foram às ruas na terça-feira, 18, pedindo reajustes salariais e reestruturação de carreira. O protesto aconteceu em frente às sedes do Banco Central e do Ministério da Economia, em Brasília, e foi organizado pelo Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate). As 37 categorias representadas pela entidade pedem reajuste de até 28% nos salários.

Prorrogação do prazo do Simples

O Comitê Gestor do Simples Nacional decidiu nesta sexta-feira, 21, prorrogar por mais dois meses o prazo para que as empresas regularizem as dívidas -- de 31 de janeiro para 31 de março. A data limite para a solicitar a adesão ao Simples em 2022 continua sendo 31 de janeiro.

O objetivo da prorrogação é “propiciar aos contribuintes do regime o fôlego necessário para que se reestruturem, regularizem suas pendências e retomem o desenvolvimento econômico afetado devido à pandemia da Covid-19”, diz o comitê, em nota.

MPs para ajudar estados

O governo federal editou na quinta-feira, 20, duas medidas provisórias para destinar dinheiro para a recuperação de áreas afetadas pelas chuvas em vários estados. Somadas, as MPs liberam 968 milhões de reais. Uma delas repassa 550 milhões de reais para o Ministério do Desenvolvimento Regional, enquanto a outra envia 418 milhões de reais para o Ministério da Infraestrutura. 

Trabalho remoto na Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), anunciou na segunda-feira, 17, que a Casa voltará a trabalhar no modelo remoto, devido ao aumento de casos de covid-19. A medida deve durar até o carnaval. A média móvel de casos da doença no Brasil subiu mais de 600% desde dezembro, com o avanço da variante Ômicron.