• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Com ou sem Mozart? As indefinições do futuro governo

Diretor do Instituto Ayrton Senna e cotado para Ministério da Educação se reúne hoje com Bolsonaro. Seu nome encontra aversão na bancada evangélica
A confusão sobre a nomeação de Mozart Neves dominou o noticiário político ontem e deve ser o grande tema desta quinta-feira. (Agência Senado/Marcos Oliveira)
A confusão sobre a nomeação de Mozart Neves dominou o noticiário político ontem e deve ser o grande tema desta quinta-feira. (Agência Senado/Marcos Oliveira)
Por Da RedaçãoPublicado em 22/11/2018 06:52 | Última atualização em 22/11/2018 11:16Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Mozart Neves, ex-reitor da Universidade Federal de Pernambuco e diretor do Insituto Ayrton Senna, assume ou não assume o ministério da Educação? A confusão sobre sua nomeação dominou o noticiário político ontem e deve ser o grande tema desta quinta-feira. Depois de jornais confirmarem Mozart no cargo, tanto o instituto quanto o futuro presidente negaram a confirmação. Por volta das 20h, no Twitter, Bolsonaro afirmou que “não existe nome definido para dirigir o Ministério da Educação”.

Mozart deve se reunir hoje com a equipe de transição de Bolsonaro numa reunião que deveria confirmar sua nomeação. Mas a disputa pela pasta, uma das potencialmente mais polêmicas do novo governo, é intensa. O nome do diretor do Instituto Ayrton Senna foi bem recebido entre educadores por razões técnicas: um bem-sucedido modelo de ensino médio integral em Pernambuco e sua aversão ao Programa Escola Sem Partido, uma das bandeiras de Bolsonaro e seus apoiadores.

Mas esta posição, segundo o jornal Folha de S. Paulo, teria gerado reação entre a bancada evangélica no Congresso, e foi a causa maior do vaivém na nomeação. Ouvido pelo jornal, o deputado Sóstenes Cavalcanti (DEM-RJ), disse que “o governo pode errar em qualquer ministério, menos no da Educação, que é uma questão ideológica para nós”. A declaração reforça o peso que as bancadas vêm tendo na formação do novo governo, fator reconhecido pelo próprio Bolsonaro.

Já são 12 ministros indicados. Além de Mendonça na AGU e Bebbiano na secretaria-geral, Onyx Lorenzoni assumirá a Casa Civil; Paulo Guedes deverá comandar um superministério da Economia; o juiz Sergio Moro será o ministro da Justiça e Segurança Pública; Tereza Cristina, ministra da Agricultura; Marcos Pontes comandará a Ciência e Tecnologia; o General Augusto Heleno será o chefe do Gabinete de Segurança Institucional; o General Fernando Azevedo e Silva vai assumir o ministério da Defesa; o diplomata Ernesto Araújo será o ministro das Relações Exteriores; Wagner Rosário será o chefe da Controladoria-Geral da União; e o médico e ortopedista Luiz Henrique Mandetta assumirá o ministério da Saúde.

Agora a equipe de transição corre para definir todos os ministérios até o fim do mês para até o dia 15 de dezembro ter um plano de trabalho para cada ministro. Faltam definir ainda cargos importantes, como o Banco do Brasil e a Caixa. Um nome de peso para a comunicação também não faria mal ao futuro governo.

Veja Também

Jair Bolsonaro
Eleicoes
Há 2 dias • 5 min de leitura

Jair Bolsonaro