Com novo aeroporto, turismo em Jericoacoara pode crescer 7%

As obras custaram R$ 90,4 milhões, sendo R$ 80 milhões oriundos dos cofres do estado e R$ 14,4 milhões do Governo Federal

O acesso à paradisíaca Jericoacoara, na costa do sol poente do Ceará, será facilitado a partir deste mês com a inauguração do Aeroporto Regional Comandante Ariston Pessoa.

O voo inaugural foi realizado no último sábado, partindo de Congonhas, em São Paulo, com 177 passageiros a bordo.

O equipamento fica no município de Cruz, um dos acessos para Jericoacoara e outras praias da região e distante 248 quilômetros da capital, Fortaleza, por estrada.

As obras custaram R$ 90,4 milhões, sendo R$ 80 milhões oriundos dos cofres do estado e R$ 14,4 milhões do Governo Federal, via Secretaria da Aviação Civil.

De acordo com a Secretaria do Turismo do Ceará (Setur), Jericoacoara recebe atualmente cerca de 600 mil visitantes por ano.

Com a inauguração do aeroporto, estima-se um incremento de 7% neste total, nos primeiros 12 meses de funcionamento do terminal, e de 20% nos próximos três anos.

Segundo a Secretaria da Aviação Civil, a regularização do terminal para receber voos comerciais deve sair até o início de julho.

Inicialmente, o aeroporto vai contar com um voo semanal fretado pela operadora de turismo CVC e operado pela Gol partindo de Congonhas.

Em julho, a companhia aérea Azul inicia dois voos para o local: um semanal, saindo de Campinas (SP); e outro do Recife (PE), com quatro partidas por semana. Até o fim do ano, devem começar a sair voos de Fortaleza.

Para quem sai de Fortaleza até a praia de Jericoacoara por terra, o percurso total chega a 300 quilômetros. Para se chegar à vila, que fica na área do Parque Nacional de Jericoacoara, ainda é preciso cruzar dunas e faixas de areia em um veículo 4x4.

Turismo sustentável

O crescimento do número de turistas chama a atenção para a necessidade de se preservar a área de proteção ambiental e de se promover o turismo sustentável.

A professora Evanir Morais, do curso de gestão em turismo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFCE), no campus de Canindé, celebra o novo terminal de passageiros como forma de facilitar a ida de visitantes que ainda não conhecem a praia de Jericoacoara.

"É uma maneira de ofertar um produto turístico consolidado, não só regional e nacionalmente, mas internacionalmente, tanto pela beleza como pela confluência de ventos que contribui para a prática de esportes."

O kitesurf é um dos esportes mais praticados na região.

Por outro lado, Evanir aponta, como ressalva, a questão da gestão sustentável do lugar.

Para ela, o Poder Público precisa criar políticas e mecanismos de controle de resíduos sólidos e de acesso à água potável, por exemplo, sobretudo ante a seca histórica que já dura seis anos.

A professora sugere que essas ações ocorram por meio de parcerias público-privadas (PPPs), uma vez que a iniciativa privada vai se beneficiar diretamente com o crescimento do turismo.

Resgate da identidade

Evanir também espera que o turismo praticado em Jericoacoara possa ter foco no resgate das tradições e da identidade do lugar, que vêm perdendo espaço ao longo dos anos e faz a praia ter uma configuração de não lugar, ou seja, com aspectos que podem ser encontrados em outros destinos nacionais.

"Alguns anos atrás, cheguei a acampar em Jericoacoara e víamos muitos moradores de lá. Me questiono para onde foi essa comunidade, pois, quando voltei, o que vi foi uma população flutuante, com muitos estrangeiros que escolheram a praia para morar. Acho que cabe uma ação de resgate da cultura local e de mostrar o que é diferente no lugar, que tem restingas e sertão também."

Segundo a Setur, as questões sobre o acesso à vila, estacionamento, coleta de lixo, água e saneamento são objetos de uma pesquisa que está em andamento em conjunto com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Uma das propostas em debate é a de limitar o número de turistas que entram e permanecem na vila, a exemplo do que ocorre em Fernando de Noronha (PE).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.