Brasil

Chuvas deixam mais de 200 desabrigados no ES; SP tem alerta no litoral

Em São Paulo, as populações de áreas de risco da Baixada Santista, como moradores de morros e encostas, foram colocadas em alerta pela Defesa Civil devido à possibilidade de deslizamentos

E

Estadão Conteúdo

29 de novembro de 2022, 15h55

As chuvas intensas que atingem vários Estados brasileiros já causaram interdições de rodovias e deixaram mais de 200 pessoas desabrigadas no Espírito Santo. Em São Paulo, as populações de áreas de risco da Baixada Santista, como moradores de morros e encostas, foram colocadas em alerta pela Defesa Civil devido à possibilidade de deslizamentos.

Acesse o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Com uma conta gratuita.

Faça parte

A rodovia BR-101, principal rota rodoviária do Espírito Santo, está interditada em dois pontos entre as cidades de Aracruz e Linhares devido às erosões na pista. No km 170, em Aracruz, o Rio Quartel alagou e abriu crateras nos dois lados do asfalto. A pista cedeu também em outro ponto, na altura de Linhares.

Continua após a publicidade

O tráfego está sendo desviado pelos municípios de João Neiva e Colatina. Viaturas da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão no local orientando os motoristas. Não há previsão para a liberação da BR. A chuva abriu uma cratera no canteiro central da rodovia Audifax Barcelos Neves, na região serrana do Espírito Santo. A rodovia estadual foi interditada nos dois sentidos.

Veja também

O Espírito Santo recebeu alerta laranja do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) devido ao risco de chuva intensa, com ventos costeiros de até 100 km/h. Nesta terça-feira, 29, a Defesa Civil estadual contabilizava 210 pessoas afetadas por desastres causados pelas chuvas, entre desabrigados e desalojados. O município de Pavão era o mais castigado, com 72 moradores fora de suas casas devido a inundações e alagamentos. Outras cidades com mais desabrigados eram Sooretama (29), Santa Leopoldina (15) e Vargem Alta (14).

Continua após a publicidade

Baixada Santista

No Estado de São Paulo, a Defesa Civil colocou em alerta as populações que moram em morros, devido ao risco de deslizamentos. Os moradores de áreas de risco e encostas devem ficar atentos a qualquer sinal de mudança na moradia ou no entorno, como surgimento de água barrenta, trincas na parede ou piso, árvores ou postes inclinados. Em Santos, a chuva acumulou quase 100 mm nas últimas 72 horas. A cidade amanheceu com pontos de alagamentos e bloqueios no trânsito causados pela inundação.

Em São Vicente, foram registrados alagamentos nos bairros Guassu Catiapoã, Jóquei, Parque São Vicente e Cidade Náutica. Trechos da Linha Amarela chegaram a ser interditados devido ao acúmulo de água. A rodovia Anchieta registrou lentidão com água empoçada sobre a pista entre o km 63 e o km 65.

No interior de São Paulo, o temporal que atingiu o município de Laranjal Paulista na noite de segunda-feira destruiu a ponte do único acesso ao bairro Bueninho, deixando os moradores ilhados. A prefeitura trabalhava, nesta terça, na abertura de um acesso provisório. Em Rifaina, a chuva torrencial acompanhada de ventos alagou ruas e derrubou a estrutura de um posto de combustível, que caiu sobre um carro. Ninguém se feriu.

Continua após a publicidade

Últimas notícias

ver mais

Continua após a publicidade

Brands

ver mais

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais