Casos de covid-19 no mundo atingem mais de 7 milhões

Dados são da agência de notícias Reuters. Contagem da universidade Johns Hopkins ainda marca cerca de 6,8 milhões e da OMS aponta que existem 6,6 milhões

Os casos de Covid-19 no mundo superaram a marca dos 7 milhões neste sábado, com salto no número de ocorrências no Brasil e na Índia, segundo contagem da Reuters.

No entanto a contagem da universidade Johns Hopkins ainda marca cerca de 6,8 milhões de infectados. Já a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que existem 6,6 milhões de casos.

Cerca de 30% destes casos, ou 2 milhões de infecções, estão nos Estados Unidos. A América Latina tem o segundo maior número, com 15% dos casos.

No mundo, as mortes causadas pelo novo coronavírus se aproximam de 400 mil. Os EUA contam cerca de 25% das mortes, mas na América do Sul o registro tem rapidamente crescido, puxado pelo Brasil.

O número de mortes vinculadas à covid-19 em cinco meses no mundo é agora igual ao número de pessoas mortas anualmente por malária, uma das doenças infecciosas que mais matam.

A primeira morte por Covid-10 foi registrada em 10 de janeiro, em Wuhan, na China. Em abril, o número de mortos já superava 100 mil, segundo levantamento da Reuters com base em dados oficiais de governos ao redor do mundo. A doença precisou de 23 dias para sair de 300 mil para 400 mil mortes.

Os EUA são o país com maior número de mortos de Covid-19, quase 110 mil. Mas o Brasil está rapidamente alcançando e poderá superar o Reino Unido ao registrar o segundo maior número de mortes pelo novo coronavírus no mundo.

Na sexta-feira, o Ministério da Saúde informou que o Brasil registrou mais 1.005 mortes em decorrência do novo coronavírus, elevando a contagem total para 35.026. O número de casos cresceu em 30.830 novas infecções, o que fez com o total no país atingir 645.771, segundo o ministério.

O número de mortos no mundo é provavelmente maior que o oficialmente informado pelos governos uma vez que muitos países não fazem testes de todas as vítimas e alguns deles não contam mortos fora de hospitais.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.