Caiado sugere lockdown de 14 dias em Goiás após projeção de colapso no SUS

Proposta apresentada pela Federal de Goiás orienta fechar todo comércio dos municípios por 14 dias consecutivos e, posteriormente, liberar por mais 14 dias

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, orientou na manhã desta segunda-feira, 29, que os prefeitos dos municípios do estado avaliem uma estratégia alternativa de lockdown por ao menos 14 dias por conta do avanço da pandemia do novo coronavírus.

A proposta, detalhada em coletiva de imprensa nesta manhã, sugere fechar todo o comércio das cidades por 14 dias consecutivos e, posteriormente, liberar por mais 14 dias. Essa alternância, segundo o governador, duraria até a estabilização dos índices da covid-19.

A estratégia foi apresentada após um estudo da Universidade Federal de Goiás (UFG) estimar um colapso hospitalar na rede pública goiana em julho. A projeção dos pesquisadores é de que até setembro mais de 18 mil brasileiros percam suas vidas apenas no estado.

Os pesquisadores usaram como base para o cálculo o índice de isolamento atual, que está na casa dos 36%. Para que esse cenário não se concretize, é preciso aumentar a quarentena da população. Inicialmente, a UFG recomendou um lockdown completo de três meses, mas a medida não teria apoio e foi repensada.

Nesse sentido, os pesquisadores decidiram apresentar como alternativa a estratégia chamada de 14 por 14. Nesse cenário de alternância, a projeção é que 9 mil vidas possam ser salvas.

"Isso é imoral, desumano, eu não posso aceitar que haja omissão de autoridades. A responsabilidade é de todos nós. Cada prefeito e cada prefeita vai responder pelo caos nos seus municípios. Reflitam bem, analisem bem. Fornecerei as minhas polícias a todos os prefeitos que quiserem que haja cumprimento 14 por 14", afirmou o governador.

Caiado citou ainda que se tivesse autonomia colocaria imediatamente em prática essa estratégia. No entanto, decisão recente do Supremo Tribunal Federal deixou a autonomia para os prefeitos, que podem determinar as regras de isolamento social. A capital, Goiânia, já anunciou que vai adotar essa medida alternativa de lockdown.

"A realidade nos impõe que tenhamos a coragem de assumir rapidamente a partir desta terça-feira, 30, a estratégia de 14 por 14", disse Caiado.

Segundo dados da secretaria de saúde de Goiás, até este domingo, 28, o estado tinha mais de 22 mil casos confirmados de coronavírus e 435 mortes.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.