Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Brasil vai melhorar em ranking de eólicas, diz ABEEólica

No ano passado, o Brasil ocupava a 13ª posição, com capacidade instalada de 3,46 GW

São Paulo - O Brasil deve ingressar no ranking dos dez maiores países em capacidade instalada de energia eólica ainda neste ano. A previsão foi feita nesta terça-feira, 16, pela presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Elbia Melo. 

No ano passado, o Brasil ocupava a 13ª posição, com capacidade instalada de 3,46 GW. Para o final deste ano, o número estimado é de 7 GW. China e Estados Unidos são lideram o ranking, com capacidade instalada de aproximadamente 90 GW e 60 GW, respectivamente.

"Acabamos de comemorar a marca de 5 GW instalados e devemos encerrar o ano com capacidade em torno de 7 GW. Provavelmente, com isso, estaremos entre os 10 primeiros em capacidade instalada no mundo", destacou a executiva, que participa nesta tarde do Energy Summit 2014.

Elbia também ressaltou durante palestra que, no último domingo, a geração dos parques eólicos alcançou a marca de 2.030 MW médios.

"Estamos entrando no período de safra dos ventos", salientou. A energia eólica é, no acumulado dos últimos anos, a segunda principal fonte contratada em leilões de geração de energia, perdendo apenas para os projetos hidrelétricos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também