Brasil tem 1.971 novas mortes e ultrapassa 460 mil vítimas

Na sexta-feira, 28, o boletim semanal do InfoGripe, da Fiocruz, apontou para uma tendência de recrudescimento da pandemia e da aproximação de uma "nova onda"

Com 1.971 mil novos óbitos por covid-19 notificados nas últimas 24 horas, o Brasil ultrapassou neste sábado, 29, a marca de 460 mil mortes pela doença, com o registro de 461.142 vítimas desde o início da pandemia, mostram dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Já o número de vacinados chegou a 21% com a primeira dose e 10% com a segunda.

A curva de vítimas manteve uma tendência de redução, enquanto a de novos casos diagnosticados segue em alta. A média móvel de óbitos, que usa dados dos últimos sete dias para eliminar distorções entre dias úteis e fins de semana, ficou em 1.836. É o segundo dia consecutivo em alta após sete dias de queda.

Nas últimas 24 horas, foram 78.352 testes positivos, fazendo o total alcançar a marca de 16.471.009 casos confirmados. A média diária, levando em consideração os últimos sete dias, é de 60.444.

Na sexta-feira, 28, o boletim semanal do InfoGripe, produzido pela Fiocruz, apontou para uma tendência de recrudescimento da pandemia e da aproximação de uma "nova onda" em óbitos e internações ao longo das próximas semanas. De acordo com os dados, há 75% de chance que os índices da covid-19 aumentem em pelo menos 11 Estados, incluindo São Paulo, e 95% de probabilidade que aconteça o mesmo em outras três unidades federativas.

Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h deste sábado.

Neste sábado, o Ministério da Saúde informou que foram registrados 79.670 novos casos e mais 2.012 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 16.471.600 pessoas infectadas e 461.057 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados. Ainda segundo o órgão federal, o País tem 14.869.696 pessoas recuperadas da doença e 1.140.847 em recuperação.

Vacinação

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou neste sábado, 29, a 45.141.433, o equivalente a 21,32% da população total do país. Nas últimas 24 horas, 313.663 pessoas receberam a primeira dose da vacina, de acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto a secretarias de 26 Estados e Distrito Federal.

Entre os mais de 45 milhões de vacinados, 22 milhões receberam a segunda dose, o que representa 10,40% da população com a imunização completa contra o novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, 77.794 pessoas receberam essa dose de reforço. Somando as vacinas de primeira e segunda dose aplicadas, o Brasil administrou 391.457 de doses neste sábado.

Em termos proporcionais, o Mato Grosso do Sul e o Rio Grande do Sul são os Estados que mais vacinaram a população até aqui: 28 57% e 27,20% dos habitantes receberam ao menos a primeira dose, respectivamente. A porcentagem mais baixa é encontrada em Rondônia, onde 12,81% receberam a vacina. Em números absolutos, o maior número de vacinados com a primeira dose está em São Paulo (11,3 milhões), seguido por Minas Gerais (4,77 milhões) e o Rio de Janeiro (3,37 milhões).

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

  • Assine a EXAME e acesse as notícias mais importante em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também