Bolsonaro volta a criticar Castello Branco e política salarial da Petrobras

O presidente também disparou críticas à política salarial dos executivos da estatal e voltou a criticar o atual presidente da empresa, Roberto Castello Branco

Em conversa com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada, nesta segunda-feira, dia 22, o presidente Jair Bolsonaro disse que não vai interferir na política de preços da Petrobras dois dias após ter trocado o comando da empresa. "Ninguém vai interferir na política de preços da Petrobras", disse Bolsonaro.

Bolsonaro também voltou a criticar o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmando que ele está há 11 meses "em casa sem trabalhar". Castello Branco está atuando remotamente por causa da Covid-19. Bolsonaro também disparou críticas à política salarial dos executivos da estatal.

"É direito meu reconduzi-lo ou não. Ele não será reconduzido. Qual o problema? É sinal de que alguns do mercado financeiro estão muito felizes com a política que só tem um viés na Petrobras: atender os interesses próprios de alguns grupos no Brasil. Nada mais que isso", disse Bolsonaro, que na sexta indicou o general Joaquim Silva e Luna para substituir Castello Branco no comando da estatal.

Bolsonaro também questionou a política de salários da Petrobras. "Respeito a empresa, seus funcionários, seus servidores, mas queremos saber de números concretos do que acontece lá. Bem como a política salarial dos seus presidentes e diretores. Alguém sabe quanto ganha o presidente da Petrobras? Alguém tem ideia? Chuta, bem alto aí", disse o presidente.

As ações da Petrobras já caíram 17% nesta segunda. O movimento é atribuído à demissão de Castello Branco, feita sem que o executivo fosse avisado sobre a troca de comando.

 

"Eu não consigo entender em um prazo de duas semanas ter uma variação do diesel de 15%. Não foi essa a variação do dólar aqui dentro nem no preço do Barril lá fora. Então tem coisa aí que tem que ser explicada", acrescentou.

 

O podcast EXAME Política vai ao ar todas as sextas-feiras com os principais temas da política brasileira. Clique aqui para ver o canal no Spotify, ou siga em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.