Brasil
Acompanhe:

Bolsonaro nega orçamento paralelo

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o sistema de compra dos tratores e outros equipamentos agrícolas seria superfaturado e privilegiaria aliados de Bolsonaro no Congresso

Jair Bolsonaro: (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

Jair Bolsonaro: (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

R
Reuters

11 de maio de 2021, 12h55

O presidente Jair Bolsonaro negou nesta terça-feira a existência de um orçamento paralelo, em que aliados do governo estariam sendo beneficiados com a liberação de recursos diretamente do Ministério do Desenvolvimento Regional para compra de equipamentos agrícolas.

"Agora inventaram que eu tenho um orçamento secreto. Isso é sinal de que não tem o que falar. Como é que o Orçamento foi aprovado, discutido por meses, agora apareceu 3 bilhões?", disse Bolsonaro a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o sistema de compra dos tratores e outros equipamentos agrícolas seria superfaturado e privilegiaria aliados de Bolsonaro no Congresso que, em ofícios, determinavam ao MDR para quais prefeituras os recursos deveriam ser liberados.

Em nota, o ministério rebateu as acusações.

"As compras por entes conveniados citadas na reportagem são realizadas com base em normas previstas. É o município quem faz a pesquisa de preços e realiza a licitação do equipamento", afirmou o ministério. "Vale ressaltar que todas as transferências estão em fase de prestação de contas em aberto. Qualquer irregularidade porventura detectada será encaminhada para órgãos de defesa do Estado", acrescentou.

  • Entenda como as decisões do Planalto, da Câmara e do Senado afetam seus investimentos.Assine a EXAME.