Brasil

Bolsonaro diz que jornalistas são "espécie em extinção"

Para o presidente, profissionais da imprensa precisam ser cuidados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama)

Bolsonaro disse que cancelou assinaturas de revistas e jornais do Planalto porque veículos chegam "envenenados" (Isac Nóbrega/Flickr)

Bolsonaro disse que cancelou assinaturas de revistas e jornais do Planalto porque veículos chegam "envenenados" (Isac Nóbrega/Flickr)

AO

Agência O Globo

Publicado em 6 de janeiro de 2020 às 12h07.

Última atualização em 6 de janeiro de 2020 às 14h51.

Brasília — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que quem lê jornais fica "desinformado" e que jornalistas são "uma espécie em extinção". Bolsonaro ainda ironizou a situação e disse que jornalistas precisam ser cuidados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).

"Vocês são uma espécie em extinção. Eu acho que vou botar os jornalistas do Brasil vinculados ao Ibama. Vocês são uma raça em extinção", disse.

Bolsonaro criticou uma reportagem do portal "Uol" que mostrou que, mesmo criticando o atual fundo eleitoral, o presidente utilizou verba pública nas eleições de 2014, quando se reelegeu deputado federal. Bolsonaro disse que a reportagem é uma "imbecilidade", mas ressaltou que não criticaria todos os jornalistas "para não ser processado" pela Associação Nacional dos Jornalistas (ANJ).

"Falei para vocês aqui: não votem em candidatos que usem o fundão. Aí o Uol falou: Bolsonaro falou para não votar em candidatos que usem o fundão, mas ele usou em 2014. O fundão é de 2017. É de uma imbecilidade. Lamentavelmente, né. Não vou dizer todo mundo aqui, para não ser processado pela ANJ e não sei o que. Mas é de uma imbecilidade. Não sabe nem mentir mais. Não me acusem de ter crucificado Jesus Cristo, não, por favor. Então, esse tipo de informação atrapalha todos vocês. Cada vez mais gente não confia em vocês. E eu quero que vocês realmente sejam uma força no Brasil. É importante a informação e não a desinformação ou fake news".

O presidente ainda ressaltou ter cancelado as assinaturas de jornais e revistas impressos  do Palácio do Planalto e disse ter feito isso porque os veículos chegam "envenenados".

"Por exemplo, eu cancelei todos os jornais do Palácio do Planalto. Todos, todos, não recebo mais papel de jornal ou revista. Quem quiser que vá comprar. Porque envenena a gente ler jornal. Chega envenenado", afirmou.

Acompanhe tudo sobre:Jair BolsonaroJornaisRevistas

Mais de Brasil

Farmácia Popular passa a oferecer 95% dos medicamentos gratuitamente

André Mendonça, do STF, dá 30 dias para governo concluir renegociação das multas da Lava-Jato

Força-tarefa extingue 30 pontos de queimada no Pantanal, diz Marina

CCJ do Senado adia votação da PEC do marco temporal de áreas indígenas

Mais na Exame