Bolsonaro afirma que vetará quarentena eleitoral a juízes e militares

O presidente da república afirmou que a proibição é um "absurdo" e configura um "retrocesso" e "perseguição" a classes militares
 (Isac Nóbrega/PR/Flickr)
(Isac Nóbrega/PR/Flickr)
R
ReutersPublicado em 16/09/2021 às 21:43.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que irá vetar a quarentena eleitoral destinada a juízes, membros do Ministério Público, policiais e integrantes das Forças Armadas que quiserem se candidatar nas eleições.

Bolsonaro afirmou que a proibição é um "absurdo" e configura um "retrocesso" e "perseguição" a classes militares.

"Espero que o Senado não aprove isso", disse, na transmissão semanal ao vivo pelas redes sociais. "Isso não tem cabimento... Obviamente, se passar no Senado --eu acho que não passa-- a gente veta", afirmou, lembrando, no entanto, que a última palavras sobre vetos presidenciais é do Congresso Nacional.

A quarentena foi aprovada na véspera pela Câmara dos Deputados, como parte de um projeto maior com quase 900 artigos que modifica e unifica a legislação eleitoral, o chamado Código Eleitoral.

Já analisado pela Câmara, o texto ainda precisa passar por votação no Senado e, após concluída sua tramitação no Congresso, segue às mãos de Bolsonaro para sanção ou veto.

Entenda como as decisões do Planalto, da Câmara e do Senado afetam seus investimentos.Assine a EXAME.