Brasil
Acompanhe:

Atos de 7 de Setembro terão segurança reforçada em Brasília e no RJ

A área central de Brasília será monitorada com uso de drones e atiradores de elite

 (Leandro Fonseca/Exame)

(Leandro Fonseca/Exame)

A
Alessandra Azevedo

Publicado em 7 de setembro de 2022, 06h00.

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, deve acompanhar o desfile cívico-militar e participar de manifestações pró-governo em Brasília e no Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 7, data da comemoração aos 200 anos de Independência do Brasil. O esquema de segurança deve ser reforçado nas duas cidades para receber o chefe do Executivo e os apoiadores.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo toda manhã no seu e-mail. Cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Em Brasília, as manifestações devem ocorrer depois do desfile cívico-militar, que começará às 9h. Os manifestantes pró-governo ficarão na Esplanada dos Ministérios, enquanto os contrários ao governo se concentrarão na área do estacionamento da Torre de TV, ao lado da Praça das Fontes, a uma distância de mais de três quilômetros.

Além do policiamento reforçado, os dois locais contarão com monitoramento de câmeras de segurança. Para ter acesso à Esplanada, será preciso passar por pontos de revista. Ninguém poderá entrar com armas, objetos perfurantes ou cortantes, substâncias inflamáveis, fogos de artifício, hastes para bandeiras, entre outros itens proibidos.

A área central de Brasília será monitorada com uso de drones e atiradores de elite, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF). Haverá equipes antibombas no local dos atos.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) fará parte da segurança na região da Esplanada. Também participarão dos esforços a Divisão de Operações Especiais (DOE) e a Divisão de Operações Aéreas (DOA), da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

Proteção aos prédios públicos

Neste ano, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) está mais preparada para evitar tentativas de invasão a prédios públicos. No ano passado, na véspera do ato de 7 de Setembro, apoiadores do presidente furaram o bloqueio da polícia e invadiram a Esplanada, apesar da proibição de entrada de veículos no local. Alguns manifestantes queriam invadir o prédio do Supremo Tribunal Federal (STF).

Para evitar que isso se repita, a Praça dos Três Poderes, onde fica o STF, está bloqueada com grades e agentes de polícia. Também não será permitido o acesso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ao Congresso Nacional, ao Palácio do Itamaraty e ao Palácio da Justiça.

"Agentes de outros tribunais do Distrito Federal reforçarão a segurança do prédio do Supremo durante o feriado. Todos os agentes têm poder de polícia no exercício de suas funções, portam armas de fogo e equipamentos não letais, e, conforme a situação, poderão adotar as medidas necessárias — sempre com uso seletivo e proporcional da força", disse o STF, em nota.

O efetivo policial que será deslocado para proteger o STF, neste ano, é 70% maior do que em 2021. A Corte contará ainda com um esquema de segurança próprio, com barreira antidrone e a atuação de 47 vigilantes armados e 98 desarmados.

Além disso, a chegada de caravanas pró-governo em rodovias distritais e federais será monitorada por órgãos de trânsito locais – departamentos de Trânsito (Detran- DF) e Estradas de Rodagem (DER/DF) e batalhões da Polícia Militar (PMDF) – e pelas polícias Federal e Rodoviária Federal. Haverá outros dois pontos de observação no DF.

A Esplanada está fechada desde segunda-feira, 5, no trecho entre a rodoviária do Plano Piloto e a via L4. A PM instalou uma estrutura de segurança em frente ao Museu da República, para concentrar os comandos móveis das corporações e servir de ponto de apoio para tropas especializadas.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, 1.855 policiais militares reforçarão a segurança em todo o estado ao longo do dia, segundo a  Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro. Os agentes acompanharão os eventos na capital fluminense e em outras cidades do RJ. Bolsonaro participará de ato em Copacabana, à tarde.

A segurança do evento contará com aeronaves responsáveis pela transmissão imagens em tempo real e com tropas do Regimento de Polícia Montada e do Batalhão de Ações com Cães. A PM também reforçará o policiamento no Maracanã, para o jogo entre o Flamengo e o Velez Sarsfield, com o deslocamento de 600 policiais para o local. O presidente deve assistir à partida.