Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Associação critica infraestrutura de aeroportos brasileiros

A Associação Internacional de Transporte Aéreo classificou como "inadequada" a situação no setor para a Copa e as Olimpíadas

São Paulo - O presidente da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês), Giovanni Bisignani, criticou a infraestrutura aeroportuária brasileira, classificando-a de “inadequada” para atender a grandes eventos, como a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Durante um fórum promovido pela Associação de Transporte Aéreo da América Latina e Caribe (Alta), ontem (18), no Panamá, Bisignani mencionou que 13 dos 20 principais aeroportos brasileiros já operam no limite da capacidade e que nada estaria sendo feito para resolver o problema.

“Não vemos muito progresso e o tempo está passando. Para evitar um constrangimento nacional, devemos unir todos os envolvidos na mesma mesa e finalizar um plano”, disse o presidente da entidade que reúne 230 companhias de 126 países. Bisignani também afirmou haver um descompasso entre os investimentos na infraestrutura aeroportuária e o crescimento da demanda por transporte aéreo, o maior da América Latina.

“A América Latina é hoje uma estrela luminosa na indústria, depois de uma década de crises e mudanças. Hoje, é a única região a registrar lucratividade. Mas mais mudanças são necessárias”, alertou Bisignani.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que os investimentos necessários para adequar todos os aeroportos brasileiros à projeção de crescimento da demanda de usuários já estavam programados desde antes da escolha do país como sede da Copa ou das Olimpíadas, e que o cronograma de obras vem sendo seguido. Os investimentos nos aeroportos relacionados à Copa do Mundo totalizam R$ 5,15 bilhões. Só no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, deverão ser investidos R$ 1,2 bilhão.

De acordo com o detalhamento apresentado pela estatal, boa parte das obras deverá ser concluída apenas no segundo semestre de 2013, após, portanto, a Copa das Confederações, marcada para junho de 2013 e que servirá de teste para a Copa do Mundo de Futebol.

O especialista em infraestrutura aeroportuária José Wilson Massa acha um exagero afirmar que os aeroportos brasileiros são inadequados. Entretanto, concorda com o presidente da Iata quando disse que os investimentos brasileiros nos últimos anos foram insuficientes.

“ Em algum momento, a Infraero não conseguiu mais acompanhar o aumento do número de passageiros. A maior evidência disso é que, agora, a empresa tem recorrido à instalação de módulos provisórios como alternativa às obras que deixaram de ser feitas nos principais aeroportos.”

Massa defende que o modelo de gestão da Infraero seja reformulado para permitir à estatal firmar contratos com empresas privadas, a exemplo do que faz a Petrobras. “ Só assim haverá tempo de concluirmos tudo para Copa do Mundo. Dentro do atual modelo [de gestão], não vamos conseguir.”

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também