Após habeas corpus, Cachoeira deixa a prisão em Goiás

Empresário foi liberado do Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia às 18h55

	Carlos Augusto de Almeida Ramos: juiz que concedeu habeas corpus ao empresário considerou que a prisão preventiva não se aplicava ao seu caso
 (Ueslei Marcelino/Reuters)
Carlos Augusto de Almeida Ramos: juiz que concedeu habeas corpus ao empresário considerou que a prisão preventiva não se aplicava ao seu caso (Ueslei Marcelino/Reuters)
R
Rubens SantosPublicado em 11/12/2012 às 19:00.

Goiânia - O empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, Carlinhos Cachoeira, foi solto nesta terça-feira, às 18h55, do Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (GO), onde estava detido desde sexta-feira. "Estou bastante aliviado", disse ao sair do local. O chefe da máfia dos caça-níqueis dirigiu-se a sua casa, em Alphaville-Flamboyant, em Goiânia, distante cerca de 14 quilômetros do presídio.

O juiz Tourinho Neto, da 1ª Região (TRF1), concedeu habeas corpus a Cachoeira, por entender que sua prisão preventiva, com duração de dois anos, não se enquadra no caso, como foi definida pelo juiz Aderico Rocha Santos, da 11ª Vara Criminal da Justiça Federal em Goiânia (GO). "No nosso ordenamento jurídico, não existe prisão preventiva quantificada em tempo", disse Tourinho Neto em sua decisão.