• AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
  • AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
Abra sua conta no BTG

Após críticas, vacinação em Manaus é suspensa por um dia para reformulação

Quantidade de doses da vacina contra o coronavírus disponibilizada pelo Ministério da Saúde nessa primeira fase corresponde a 34% do total de profissionais de saúde do Amazonas
Há municípios do interior do Amazonas que terão de devolver doses do imunizante (Reuters/Bruno Kelly)
Há municípios do interior do Amazonas que terão de devolver doses do imunizante (Reuters/Bruno Kelly)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 21/01/2021 11:56 | Última atualização em 21/01/2021 11:56Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A vacinação contra covid-19 para os profissionais de saúde foi suspensa em Manaus por um dia nesta quinta-feira, 21, para reformulação da campanha. Há municípios do interior do Amazonas que terão de devolver doses do imunizante, enviadas erroneamente pelo Estado. Mesmo com a suspensão, os funcionários do Samu devem ser vacinados ainda nesta quinta-feira.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor

Segundo a assessoria da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), a quantidade de doses da vacina contra o coronavírus disponibilizada pelo Ministério da Saúde nessa primeira fase corresponde a 34% do total de profissionais de saúde do Estado. O Amazonas enfrenta uma grave crise sanitária, com aumento de casos e internações por covid-19 e falta de oxigênio para pacientes hospitalares há pelo menos uma semana.

Para conter a polêmica de quarta-feira, 20, quando um filho de um deputado e as gêmeas de um empresário local recém-formados em Medicina postaram fotos sendo vacinadas em rede social, a orientação agora é de que a prioridade na vacinação deva ser dada aos profissionais das unidades de referência, de média e alta complexidade, que tenham contato direto com pacientes com covid-19, levando em conta fatores como comorbidades e idade.

 

 

O Amazonas recebeu 282.320 doses da vacina na segunda-feira, 18. Desse total, segundo a Susam, 25.440 foram levados pela Força Aérea Brasileira (FAB) diretamente para Tabatinga ainda na segunda-feira, em função de um acordo do Ministério da Saúde por causa da localização na tríplice fronteira.

O quantitativo enviado está acima do que era previsto, de 21.783 doses, e, portanto, o município terá de devolver a diferença (3.657 doses). Ainda segundo a assessoria do governo, os lotes entregues pelo Ministério da Saúde são destinados para aplicação de duas doses, garantindo a imunização do público-alvo.

Quatro municípios (Alvarães, com 2.171 doses, Codajás, com 198, Nova Olinda do Norte, com 820, e Uarini, 885) vão receber a primeira dose até esta quinta-feira, conforme o Plano Operacional da Campanha de Vacinação contra a Covid-19, assim como Silves, que vai receber mais 296 doses, completando a remessa equivalente à primeira dose, que foi menor que o necessário. Segundo a Susam, do total de 58 dos 62 município abastecidos, 33 receberam somente a primeira dose por não possuírem estrutura adequada para acondicionamento das vacinas.

 

 

Após o cálculo de todos os grupos, de acordo com critérios do Ministério da Saúde e cruzamento com os dados do Amazonas, houve uma sobra de 8.345 doses, que serão redistribuídas. Em nota, a Susam assume que a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), órgão subordinado à secretaria e responsável pela divisão das vacinas, "errou ao informar, na última terça-feira, 19, que as doses armazenadas nos contêineres na fundação correspondiam somente à segunda dose da vacina para capital e região metropolitana. Na verdade, as doses armazenadas correspondem à reserva técnica de modo geral e às segundas doses dos municípios que não têm estrutura para receber as duas doses de uma vez só".